sábado, 1 de junho de 2013

MANIPULAÇÃO DA INFORMAÇÃO NÃO INFLUENCIA MAIS A MAIORIA DO ELEITORADO COMO ANTIGAMENTE. COM OS ELEITORES CADA VEZ MAIS EXIGENTES, ELEIÇÃO DE 2014 DEVERÁ SER MAIS DIFÍCIL, TANTO PARA O GOVERNO QUANTO PARA A OPOSIÇÃO.


Hoje em dia o eleitor não cai mais tão facilmente 
em jogos de cena e manipulações da mídia. 

A leitura política para ser séria deve ter componentes reais e não imaginários, precisa mostrar a realidade que ela procura explicar. A interpretação distorcida da conjuntura só se justifica em uma estratégia política que para ter sucesso necessita que a realidade na qual ela pretende inserir seja transformada em fantasia.

Nos últimos dias observamos que a oposição, principalmente o PSDB, a exemplo do que fez em 2005 com o mensalão e em 2009 com a crise na economia mundial, tem tentado de todas as formas criar um clima de crise tendo como epicentro a subida da inflação e um PIB muito baixo.

Todos nós sabemos que para a oposição ter chance segura de sair vitoriosa em 2014 precisa de um ambiente de crise, com a subida dos preços e a conseqüente inflação em uma situação de crescimento baixo da economia que teria como resultado a perda de apoio do atual governo junto a maioria da opinião pública.

Se isso não acontece rapidamente é necessário então que seja criado um clima que aponte para esta possibilidade de crise, mesmo que ainda estejamos em uma fase onde o que existem são indícios de que podemos ter um ambiente de carestia e queda do emprego em uma situação de perda da capacidade de compra, principalmente para a classe média emergente e aqueles que ainda não romperam plenamente a linha da pobreza, segmentos que hoje compõe a maioria da população brasileira.

Mesmo que os principais órgãos de imprensa do Brasil se alinhem sistematicamente com o projeto de poder da oposição e isso ficou mais evidente a partir da chegada de Lula e aliados ao poder em 2002, a realidade nos mostra que a maioria do eleitorado brasileiro tem se mantido refratário ao apelo da oposição e isso fica claro desde os períodos que antecedem as eleições presidenciais com articulações políticas e reflexos conjunturais na mídia nos biênios 2005/2006 e 2009/2010.

Um sinal inequívoco de que o discurso alarmista da oposição ainda não tem ressonância na opinião pública pôde ser constatado nos baixos números de citações do programa nacional na televisão do PSDB no último dia 30, quinta feira, no Microblog Twitter com apenas 8.615 mensagens.

Mesmo que o Jornalista Fernando Rodrigues em seu blog no UOL tenha tentado minimizar o baixíssimo número de mensagens em uma rede que tem milhões de seguidores no Brasil, ao escrever que o hashtag #psdbnuncamais, que faz parte do total de mensagens, foi articulado de maneira organizada por militantes ou simpatizantes petistas, incluindo o próprio perfil do PT (de simpatizantes), que teria estimulado a militância a entrar no jogo de repercussão na televisão aberta, não podemos deixar de observar que a massificação do apoio aos tucanos foi muito baixa no Twitter.

Isso tem basicamente dois motivos principais que Fernando Rodrigues não considerou:

1 - O debate político que esta acontecendo hoje na mídia é restrito basicamente às tvs fechadas, principalmente Globo News e Band News e também aos principais jornais escritos do Brasil (Folha e Estadão), portanto ainda está muito distante da maioria da opinião pública brasileira, principalmente levando em consideração que estamos a mais de um ano da eleição de 2014;

2 – O discurso da oposição, turbinado na mídia pró oposição em tom alarmista, ainda não está encontrando a ressonância desejada mesmos na minoria que acompanha o noticiário sobre o assunto.

A maioria da população pode até estar percebendo alta nos preços, porém dificuldades em arrumar trabalho e falta de dinheiro no bolso não só para pagar as contas, mas também para as compras cotidianas, isso ainda não esta acontecendo em escala massificada.

Além do sinal detectado pelo Twitter, Aécio Neves e seus articuladores a exemplo do que já aconteceu com Eduardo Campos, devem estar se deparando com os resultados das pesquisas qualitativas que certamente encomendaram e, conseqüentemente com a dura realidade de que o trabalho para convencer a maioria dos eleitores a votarem na oposição até Outubro de 2014 deverá ser muito mais difícil do que imaginam.

O que não significa que o Governo e seus apoiadores também não vão enfrentar uma dura batalha, principalmente porque o eleitor brasileiro está votando sistematicamente a cada dois anos desde a volta da democracia nos anos oitenta do século passado, o que significa que está acumulando experiência em como escolher os candidatos e de uma maneira cada vez mais inteligente e pragmática.

Isso é bom para a Democracia e para o Brasil.


Flávio Luiz Sartori - flavioluiz.sartori@gmail.com

quinta-feira, 30 de maio de 2013

quarta-feira, 29 de maio de 2013

SERÁ QUE A MÚSICA BRINCA COM HERMETO PASCOAL OU É ELE QUE BRINCA COM A MÚSICA ????


Esse Brasil tem muita coisa boa e boa demais, tai Hermeto Pascoal só pra começar...




Conheçam a obra desse fenomenal artista acessando seu site:

http://www.hermetopascoal.com.br/


Flávio

segunda-feira, 27 de maio de 2013

VOCÊ NEM PERCEBEU, A MÍDIA DEU POUCO DESTAQUE, NINGUÉM DEU A DEVIDA IMPORTÂNCIA, MAS NO ÚLTIMO DIA 10 DE MAIO A QUANTIDADE DE GÁS CARBÔNICO NA ATMOSFERA DO NOSSO PLANETA TERRA ATINGIU SEU PONTO MÁXIMO...

Gás carbônico em excesso na atmosfera pode 
representar o fim da vida no Planeta Terra.


Infelizmente a maioria das pessoas não tem a mínima ideia do perigo que o nosso planeta está correndo. No último dia 10 de Maio agora, uma sexta feira, o nível de gás carbônico na atmosfera de nossa casa no universo, o Planeta Terra, atingiu seu ponto máximo. Eu mesmo só fiquei sabendo disso hoje e sou uma pessoa que procura se informar sobre esse importante temo a todo momento.

Direto do site dm.com.br:

Nível de CO² atinge nível recorde na atmosfera

Especialistas informaram nessa sexta-feira (10) que o nível de dióxido de carbono, o gás que contribui para o aquecimento global chegou a níveis não vistos há milhões de anos na Terra. Cientistas afirmaram que o gás atingiu uma média diária de mais de 400 partes por milhão. Este é apenas um momento isolado no hodômetro, mas também um sério lembrete de que os esforços para controlar as emissões da atividade humana falharam.

Os cientistas acreditam que o aumento anuncia mudanças muito importante no clima e no nível do mar. Ralph Keeling, que executa outro programa nas emissões de CO2 na Instituição Scripps de Oceanografia em San Diego , disse que um aumento contínuo pode ser catastrófico. "Isso significa que estamos perdendo rapidamente a capacidade de manter o clima abaixo do tolerável", afirma o pesquisador. Os novos dados vêm de sensores localizados no cume do Mauna Loa , o vulcão na Ilha Grande do Havaí, que tem sido o ponto de referência no estudo da evolução dessas emissões.

Os dispositivos no Hawaii recolhem amostras de ar que tem circulado no Oceano Pacífico a milhares de quilômetros da costa e grandes cidades há cerca de 50 anos. A primeira vez que detectou mais de 400 partes por milhão de dióxido de carbono no Ártico foi  no ano passado e também superou as leituras por hora no nível de Mauna Loa, mas a leitura média ainda não tinha ultrapassado esse nível por um dia inteiro.


O dióxido de carbono aumenta e diminui em ciclos de tempo e seu nível estará abaixo dos 400 ppa no verão com o crescimento das plantas no hemisfério norte. Especialistas alertam, no entanto, que a recuperação será breve e que cada vez está mais perto de que esse nível seja registrado em qualquer ponto da Terra em qualquer época do ano.



Caso não tenha dado importância ao que leu acima, então procure
inspiração nesta canção do século passado. Quem sabe ela te acorda.

No atual momento que vivemos, nossa sociedade se volta para a sobrevivência associando ela ao bem estar e isso nos ilude porque passamos a considerar o comportamento egoísta e fisiológico como apenas mais elemento de nossa vida cotidiana. Assim o valor ético do quanto é importante preservarmos nosso habitat passa para uma situação secundária, sem importância e é ai é que pode estar a nossa desgraça.


Flávio Luiz Sartori