quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

FAZER QUALQUER TIPO DE LEITURA SOBRE A ELEIÇÃO PARA PREFEITO DE CAMPINAS SEM LEVAR EM CONTA A IMPORTÂNCIA DO DR HÉLIO COM A FORÇA QUE ELE TEM JUNTO AOS ELEITORES É CHOVER NO MOLHADO.


Se não buscarmos a verdade, a mídia manipuladora e os que detém o poder sem o
compromisso com a verdade, sempre irão nos tratar como vemos na imagem acima.


A pouco mais de um mês conversei com um representante de um partido político que me relatou que seu partido tinha realizado uma pesquisa de opinião para testar o potencial dos principais candidatos a Prefeito de Campinas para a eleição de 2016, ele me disse, obviamente que escondendo o jogo da verdade dos números, que o Prefeito Jonas Donizette e que e o possível pré candidato do PT, Márcio Pochmann, estavam no páreo na sondagem estimulada e ai eu perguntei sobre o Dr. Hélio,  para minha surpresa ele respondeu que o Dr. Hélio não tinha sido colocado nas fichas de estímulo para as entrevistas e ai eu questionei sobre quem teria feito a pesquisa e como na atual realidade de Campinas uma empresa de pesquisa poderia fazer uma sondagem de candidatos a prefeito sem colocar o nome do Dr. Hélio.

O fato é que tanto os partidos quanto os estrategistas da política em Campinas se acomodam com a mesmice reproduzida nos “correios populares, metros e eptvs” a tal ponto que a leitura da conjuntura política fica tão pobre que chega irritar porque todos nós sabemos que a coligação, composta principalmente pelo PSB e o PSDB, que elegeu Jonas em 2012, conta com o apoio explícito da EPTV (Globo), Correio Popular e o Jornal Metro. Isso significa que articular estratégias tendo como base notícias e analises conjunturais destes meios de comunicação não leva a lugar nenhum, aliás, com todo respeito pelos jornalistas que trabalham nestas empresas. Para comprovar isto basta uma análise simples do fato de que até agora e, estamos no fim Dezembro de 2015, a praticamente dez meses da eleição, não apareceu nenhuma pesquisa divulgada publicamente com a avaliação do mandato do prefeito Jonas e muito menos como ele estaria na disputa de sua reeleição.

O que se ouve são conversas e “ti ti tís” de que o prefeito teria mostrado uma pesquisa a seus secretários onde ele estaria “muito bem”, que o PT teria uma pesquisa com Márcio Pochmann competitivo e até mesmo o próprio Dr. Hélio também teria pesquisas onde ele estaria na liderança e que em todas estas pesquisas os candidatos oponentes dos que realizaram as pesquisas sempre estariam com a rejeição acima dos 40%.

Tudo isso pode parecer muito bom para os candidatos, mas na realidade não se traduz em verdade, são boatos e estórias, por isso mesmo vamos a análise do que existe de fato concreto.

O prefeito Jonas, nesta altura do campeonato, se estivesse bem avaliado nas pesquisas, mesmo que ótimo e bom fosse um pouco abaixo do regular, obviamente que já teria divulgado estas pesquisas, até mesmo para consolidar as forças políticas que estão com ele, principalmente na Câmara Municipal. Se não tem nada a mostrar é que o que tem nas mãos não deve ser bom.

O PT está na defensiva diante a impopularidade do Governo Dilma e mesmo que as pesquisas de IBOPE e Datafolha sejam notadamente pró PSDB, os baixos números de aprovação da presidenta diante da crise econômica e política mantém o partido em posição de cautela porque a situação do PT certamente esta refletindo em uma rejeição acima do normal para seus candidatos a prefeitos e Campinas não foge a regra. O PT só poderá tentar reverter este quadro na prática se a situação do Governo melhorar e durante a campanha eleitoral na televisão contando com a força de sua militância.

Por outro lado, temos a possibilidade de uma candidatura do Dr. Hélio, que apesar de ser aparentemente ignorada pelas principais empresas de comunicação de Campinas e também por parte dos concorrentes, principalmente o prefeito Jonas, sofre seguidos ataques praticamente diários  da mídia aliada do PSDB e nesse caso não é necessário entender muito de política para deduzir que o Dr. Hélio é sim um candidato que deve estar aglutinando o apoio de significativa parte dos eleitores de Campinas.

Outros dois possíveis candidatos que poderiam surpreender seriam Arthur Orsi e o ex Prefeito Pedro Serafim, mas a possibilidade deles é muito remota. Orsi porque disputaria um eleitorado da Campinas tradicional com epicentro no Centro e bairros adjacentes enquanto provavelmente teria dificuldades de penetrar nas periferias. Pedro Serafim, hoje não tem mais a máquina da Prefeitura de Campinas como tinha em 2012, por isso mesmo não conseguiria articular as mesmas mesmas forças políticas pelo simples fato de que elas já foram cooptadas por Jonas. O PSOL e o PSTU juntamente com outros sonhadores serão coadjuvantes.

Campinas teria hoje basicamente três nomes fortes concorrendo ao cargo de prefeito, Jonas, Márcio Pochmann e Dr Hélio.

Para Jonas ser reeleito, seu mandato teria que ter sido ótimo e bom em um grau de competência que permitisse a uma significativa parte dos campineiros se esquecerem do Governo Hélio porque foi uma parcela dos eleitores que votaram duas vezes seguidas no ex-prefeito, em 2004 e 2008, que migrou para Jonas em 2012 levando ele a ser eleito. Se estes eleitores estiverem decepcionados com o Governo Jonas em 2016, a tendência será de que eles retornem para o Dr. Hélio ou até mesmo votem em um candidato apoiado por ele.

Diante do quadro colocado, se Jonas for para a disputa com baixa aprovação de seu governo, só restará a ele torcer para que o Governo Dilma continue em baixa junto com o PT, o que tornaria o discurso antipetista do ódio, no feitio de Carlos Sampaio, sua única tabua de salvação, isso se o Dr. Hélio não conseguir ser candidato.

Se o Dr. Hélio for candidato, pode vencer inclusive no primeiro turno, se o antipetismo estiver forte.

Também podemos ter um segundo turno entre Dr. Hélio e Jonas com os votos do PT certamente indo para o Dr. Hélio, ou entre Jonas e Márcio Poichmann, com provavelmente a maioria dos votos do Dr. Hélio indo para o PT, mas não na mesmo intensidade dos votos petistas que iriam para o Dr. Hélio caso ele disputasse um segundo turno com Jonas. Lembrando que existe também a possibilidade de um segundo turno entre Dr. Hélio e Márcio Pochmann e nesse caso os votos do Jonas certamente iriam na sua imensa maioria para Dr. Hélio, mas isto significaria que o Dr. Hélio, se eleito prefeito, voltaria a ficar refém das mesmas forças que patrocinaram politicamente sua cassação em 2011.

Conclusão, como vocês podem perceber, ao que tudo indica, mesmo que isso não seja admitido pela maioria da mídia pró-tucana e pelas forças políticas de Campinas, a possível presença do Dr. Hélio no processo eleitoral em Campinas tende a ser o fator decisivo na  eleição do ano que vem, tanto no caso do Dr. Hélio disputar como também se não disputar a eleição, porque se ele tem apoio de significativa parte da opinião pública dos eleitores, no caso de não poder ser candidato, a articulação política que se coligar com o PDT estará fortalecida na disputa desde que tenha um nome de peso como candidato a prefeito.

Lembrando que as acusações de corrupção tão presentes no debate politico atualmente estão cada vez mais generalizadas na classe política, atingindo praticamente todos partidos. Isso certamente terá um peso na escolha do eleitor, mas no caso de uma eleição municipal, o principal fator que deverá ser levado em conta será a capacidade dos candidatos de resolverem os problemas dos eleitores no dia a dia, em uma realidade onde a atuação governamental nos planos federal, estadual e municipal certamente se confundirá.

Estes são fatos concretos desprovidos de paixões, aliás, como deve ser porque este humilde escrevinhador não tem procuração para defender nenhuma candidatura, sendo apenas um observador neste momento.


Flávio Luiz Sartori



sexta-feira, 9 de outubro de 2015

DEPOIS DE ENDEUSAREM E USAREM EDUARDO CUNHA, BARÕES DA MÍDIA E TUCANOS PREPARAM TRAIÇÃO. QUALQUER SEMELHANÇA COM O PERSONAGEM "GENI" DA CANÇÃO DE CHICO BUARQUE NÃO SERÁ MERA COINCIDÊNCIA.


Se tem uma coisa em que os Frias, Mesquitas e Marinhos são especialistas é 
a prática de usar, abusar e depois descartar atirando aos leões, exatamente
como fazem com Cunha agora.

Agora a noite os três principais grupos empresariais aliados, que controlam a mídia golpista, que há uma semana ainda "passavam as mãos na cabeça" de Eduardo Cunha,  mudaram completamente de comportamento a passaram a atacar Cunha, praticamente exigindo sua renúncia.

Folha de São Paulo da família Frias, Estadão da família Mesquita e Rede Globo dos irmãos Marinho, que comandam o poder econômico que controla a mídia no Brasil patrocinam o golpe juntamente com o PSDB aécista, partidos e grupos políticos fisiológicos que estão alijados do poder desde 2002, quando Lula, o PT e aliados derrotaram eles.

Durante a campanha eleitoral de 2014 alguns milhões e bilhões de reais devem ter sido usados para eleger, principalmente na Câmara dos Deputados, um numero que pode chegar a mais de uma centena deputados totalmente comprometidos com o de pior do fisiológico político quer existe na política brasileira, todos com uma missão bem definida, se Dilma Roussef fosse reeleita, sabotar o governo em apoio a oposição derrotada e preparar o terreno para um golpe a la Paraguai.

E não deu outra, com Dilma reeleita logo a mídia partidária e a oposição colocaram seu aparato a serviço da desestabilização do governo interruptamente, mesmo antes de sua posse para o segundo mandato.

Até este ponto a estratégia dos grupos empresariais midiáticos aliados ao PSDB e seus apoiadores parecia que seria coroada de êxito, no entanto se pararmos para analisar com calma, logo chegaremos a conclusão que esta jogada da oposição não poderia mesmo acontecer sem que suas próprias contradições colocassem em risco o golpismo que se desenhava.

Simples, eleger uma bancada fisiológica que pudesse ser controlada por um indivíduo como Eduardo Cunha somente seria possível através de esquema em que os recursos que possibilitaram a eleição desta "centena" de fisiológicos viessem de esquemas de corrupção, afinal estes fisiológicos, que colocaram Cunha na presidência da Câmara dos Deputados com apoio velado da oposição capitaneada pelos tucanos aécistas e também das "Folhas, Estadãos e Globos", não teriam chegado onde chegaram se não fosse as custas de muito, mas muito mesmo dinheiro.

O problema para estes golpistas é que eles utilizaram os mesmos esquemas de corrupção que eles tanto tentam denunciar a todo momento com viés moralista para desqualificar o PT, aliados e os governos Lula e Dilma para se elegerem e depois atuarem no Congresso Nacional.

As denuncias contra Eduardo Cunha ja vinham de longa data. O que Folha, Estadão e Globo, dentre outros tantos pelo Brasil afora, fizeram esta noite quando intensificaram o fogo da fritura de Eduardo Cunha, nada mais é do que uma "queima de arquivo". Não dava mais para segurar, aliás como muito bem definiu o veterano peemedebista no Congresso Nacional, Jarbas Vasconcelos, quando sabiamente constatou,  "Com Cunha, o impeachment vira lorota, fica mambembe". 

O problema para a oposição e seus sócios nas elites empresariais, principalmente nos grupos midiáticos, esta no que virá de Cunha quando a traição que eles iniciaram esta noite começar a empurrar o peemedebista para a irreversível condição de infame rumo a tornozeleira, ai sim é que de fato poderá valer a ameaça de Cunha, quando disse "não vou cair sozinho". 

Quem viver verá...

E para inspirar a maravilhosa obra de Chico Buarque.

domingo, 20 de setembro de 2015

QUANDO DESTACA O GOLPISMO INSANO DE GILMAR MENDES, O JUIZ DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL QUE DEU HABEAS CORPUS AO MÉDICO MONSTRO ESTUPRADOR ROGER ABDELMASSIH, O CORREIO POPULAR DESRESPEITA TODAS MULHERES DE CAMPINAS.


O desequilíbrio demonstrado por Gilmar Mendes em diversas situações demonstra
de maneira bem clara que ele jamais deveria ter sido indicado Ministro do
Supremo Tribunal Federal. O habeas corpus ao médico estuprador apenas 
confirma isso.

Gilmar Mendes é um juiz do Supremo Tribunal Federal, o mínimo que se espera de uma pessoa que chegue a este cargo é equilíbrio, que guarde suas paixões mais profundas e sinistras até, pelo menos, não estar mais no cargo de juiz do Supremo.

Não é isto que acontece, Gilmar veste a camisa da oposição e o que é pior da oposição golpista, aqueles que não se conformam com o resultado das urnas que reelegeu Dilma Roussef Presidente da República e pregam o golpe incessantemente. Mas Gilmar Mendes não está sozinho, tem guarida na mídia conservadora controlada pelas elites mais atrasadas que existem no Brasil, a Globo, a Folha Uol, Estadão, Veja e, é claro o Correio Popular de Campinas.

Gilmar Mendes esteve em Campinas neste final de semana para participar do 4° Fórum de Agronegócios promovido pelo LIDE, uma empresa de João Dória, empresário do PSDB. Gilmar aproveitou a oportunidade para atacar o PT e o jornal Correio Popular usou seu discurso político para colocar em manchete que Gilmar teria destroçado o PT.

O Correio Popular na ânsia de levar adiante sua militância descarada em favor do PSDB, dos setores tucanos que pregam o golpe abertamente contra um governo legitimamente eleito, perdeu a compostura a muito tempo. Mesmo assim, deveria ter vergonha de dar espaço para um juiz decadente e desmoralizado como Gilmar Mendes pelo simples fato, dentre tantos questionamentos às atitudes de Gilmar, de que ele concedeu um habeas corpus em 2009 a ninguém menos que Roger Abdelmassih, o médico monstro condenado a quase 300 anos de cadeia por mais de 50 estupros.

Como agravante para o destaque à presença deste juiz em Campinas, que envergonha a justiça no Brasil, cito depoimento que li hoje no Conversa Afiada do Paulo Henrique Amorim de uma mulher atendida em Campinas pelo “monstro”, Teresa, abusada aos 18 anos.

“Eu tive uma crise de cólica renal, e meus pais me levaram para Campinas, no INPS da época. Eu fui atendida por ele [Roger], que me encaminhou para o hospital e fez a internação. Já no consultório, ele foi me ajudar a deitar, e eu senti que ele estava excitadíssimo. Fiquei assustada, mas achei que fosse algum aparelho de médico. Fui internada e só ele entrava no quarto. Ele não deixava ninguém mais ser internada junto comigo. Só deixou uma mulher cega e disse que ele era esperto. Ele erguia minha roupa, me manipulava. Eu estava de sonda, com soro nos dois braços. Ele sugava meu seio, lambia as partes, queria que eu fizesse sexo oral, esfregava o membro no meu rosto.”

Ao dar destaque a Gilmar, o Correio Popular mancha sua história de maneira vergonhosa e o que é pior, desrespeita as mulheres de Campinas, que são na realidade, um de seus mais importantes seguimentos de leitores.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

NUNCA DUVIDEM, O VERDADEIRO CENTRO DA CONSPIRAÇÃO É O JARDIM BOTÂNICO NO RIO DE JANEIRO, DE ONDE OS IRMÃOS MARINHO COMANDAM DIARIAMENTE A GLOBO E UMA INCESSANTE CAMPANHA DE ÓDIO CONTRA LULA E DILMA.

Durante o Governo Sarney nos anos oitenta do século passado, Roberto Marinho, o pai
destes caras, dizia com todas as letras, que quem mandava naquele Brasil onde a
miséria da maioria do povo imperava, era ele. 

A cada dia que passa a audiência da Globo dos irmãos Marinho  cai mais.

A Rede Globo ja muito mais poderosa, a ponto de, como revela Paulo Henrique Amorim em seu livro o Quarto (ou Primeiro) Poder, ter praticamente governado o Brasil pelas mãos de Roberto Marinho de 1985 a 1990, quando Sarney foi Presidente da República.

A queda audiência do Jornal Nacional é continua e as novelas, principal carro chefe da programação da Rede Globo não decolam, enfim a emissora tem problemas em praticamente toda sua grade de programação.

E não é só isso, considerado o carro chefe da GloboNews, principalmente na estratégia da família Marinho de bater em Lula, Dilma e no PT e aliados incessantemente, o Jornal das 10, depois da saída de Mariana Godoy, hoje na Rede TV, só nos últimos dose meses teve uma queda de 27% em sua audiência, portanto quase um terço.

Esta perda de audiência e queda de circulação de revistas e jornais de propriedade da família Marinho esta levando eles ao desespero, com sinais evidentes da perda do controle emocional, que visivelmente já esta beirando ao irracional, para comprovar basta apenas uma breve observação nas ultimas edições da revista Época, que não para mais de destilar o ódio dos Marinho, principalmente contra a figura do ex presidente Lula.

Uma rápida olhada no G1, neste inicio de madrugada de hoje, 12/09/2015, mostra uma lista de ataques a figura de Lula, ao governo Dilma e seus aliados como que se nada mais de muito importante tivesse acontecido no Brasil e no mundo além de queda de um guindaste que teria matado cem pessoas na Arábia Saudita.

A família Marinho esta a muito tempo disseminando o ódio por todo Brasil, praticamente todas manifestação da direita e dos fascistas, que aconteceram desde 2013, foram convocadas ao vivo pela Globo, principalmente pela GloboNews  sob o comando da mais ferrenha e servil discípula dos irmãos Marinho, a apresentadora Leilane Neubarth.

No entanto, estes ataques não foram o bastante até agora, tanto é que Dilma Russef foi reeleita no ano passado e o golpe tramado pela Globo e seus aliados não passa de uma ilusão de seus idealizadores.


Quando atacam Lula desesperadamente, os irmãos Marinho, parece que se esquecem que estão mobilizando as forças populares contra eles a todo momento em todo Brasil, são milhões de militantes espalhados em todo território nacional, principalmente nas redes sociais na Internet, que se mobilizam para denunciar a verdadeira história de quem foi realmente Roberto Marinho e o que representam seus filhos atualmente.

domingo, 6 de setembro de 2015

CAMPINAS: SEM FATOS NOVOS PARA AJUDAR JONAS DONIZETTE EM SUA PRÉ-CAMPANHA PARA E REELEIÇÃO DO ANO QUE VEM, JORNAL CORREIO POPULAR APELA PARA QUALQUER NOTICIA PARA TENTAR DENEGRIR A OPOSIÇÃO, MESMO QUE SEJA INSIGNIFICANTE.

Correm boatos la pelas bandas do Correio Popular e do Metro que o marqueteiro 
americano de ascendência indiana Ravi Singh, que se autodenomina "guru", 
que trabalhou na campanha de José Serra (PSDB) à Presidência da República 
em 2010, estaria para ser contratado para ajudar os jornais a alavancarem 
a candidatura de Jonas Donizette na tentativa de releição do ano que vem.

Pensem bem meus caros internautas, principalmente de Campinas, se o Prefeito Jonas Donizette estivesse em uma situação, digamos que no mínimo razoável em relação as pesquisas referentes a aprovação de seu mandato nos seus quase três anos de governo, vocês acham que o Correio Popular ou o Metro já não teriam publicado em manchetes nas suas primeiras páginas?
Elementar meus caros, se isso não aconteceu ainda significa que a coisa não deve estar muito boa para o prefeito Jonas exatamente porque neste momento não deve estar dando para arriscar publicar nenhum tipo de pesquisa sobre a aprovação de seu mandato, nem aquelas que segundo se propala no folclore político, se costuma dar um jeitinho “esticando” os famosos dois ou até três pontinhos para o lado do político que contratou a pesquisa dentro da famosa “margem de erro”.
Diante desta constatação não resta aos jornais que fazem parte da coligação política que apóia Jonas, o Correio Popular e o Metro, isso sem contar com a EPTV da Globo dos irmãos Marinho, outra alternativa senão buscar subterfúgios para tentar atacar os inimigos de Jonas e do PSDB, aliás como fez hoje, 06/09, o Correio Popular quando noticiou em manchete de primeira página que o PT  teria sido o único partido de Campinas que teria perdido 85 filiados em um ano, isto em números representa menos de 1,5% de mais de 7 mil filiados, um índice muito pequeno para ser considerado como parâmetro para medir uma saída significativa de militantes.
Na realidade, considerar a perda de militantes em tão baixo número como motivo o enfraquecimento de um partido político como o PT em Campinas é forçar a barra em exagero e demonstra que a militância da imprensa em Campinas esta perdendo a razão face à inexistência de noticias realmente positivas para o atual prefeito de Campinas tentar sua reeleição no próximo ano. Maior prova disso é o fato de que tanto Correio Popular quanto o Metro foram os mais entusiastas na convocação das recentes manifestações golpistas da direita contra o democraticamente reeleito Governo Dilma.
Quando venceu a eleição para Prefeito de Campinas em 2012 com apoio do PSDB, Jonas e seus operadores políticos deveriam ter em mente que seu governo deveria ser, no mínimo, razoável frente à comparação com os quase oito anos de gestão do ex-prefeito Dr. Hélio, com mandato muito bem avaliado.
Com um Governo inexpressivo, como o que tem realizado até agora, Jonas não conseguirá de maneira nenhuma se qualificar para ser reeleito no ano que vem.
Conclusão, esta estória de enfraquecimento de partido porque perdeu menos de cem filiados é pura balela, quem quiser saber mesmo sobre as chances de Jonas no ano que vem tem que ter em mãos pesquisas sérias de avaliação de seu mandato, o resto é conversa pra boi dormir para ser ventilada nos corredores da Câmara Municipal, da Prefeitura ou lá pelas bandas do Café Regina.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

ATAQUES A GILBERTO KASSAB E AFIF DOMINGOS: SETORES DA IMPRENSA QUE HISTORICAMENTE “VESTEM A CAMISA” DA OPOSIÇÃO NÃO PERDOAM O PSD POR ESTAR NA BASE DE APOIO AO GOVERNO DILMA.


Por fazerem parte do Governo Dilma, Gilberto Kassabe e Afif Domingos 
sempre são alvo de ataques, principalmente  da Folha (UOL),
Estadão e Rede globo dos irmãos Marinho.


Não é de hoje, principalmente depois que o Partido Social Democrata, o PSD, foi criado e que o partido optou em fazer parte da base de apoio do Governo Dilma mantendo o tom de crítica construtiva, que denuncias contra as figuras públicas Gilberto Kassab e Afif Domingos aparecem nas páginas e nos sites dos “jornalões” do Partido da Imprensa Golpista, o PIG, principalmente Folha (UOL), Estadão e Globo dos irmãos Marinho.

A menos de dois meses atacaram Afif Domingos usando uma ação do MP, ontem, 18/08, foi a vez de Gilberto Kassab aparecer no PIG por conta de matérias que se repetem sempre nestes jornais por ação do mesmo MP.

Afif Domingos, Ministro Chefe da Secretaria de Estado da Micro e Pequena Empresa  faz um excelente trabalho no sentido de reduzir a histórica burocracia que existia no estado brasileiro em relação a facilitação para legalização e benefícios aos pequenos e micros empreendedores, alias um tema histórico na ação do ministro em sua trajetória política. Gilberto Kassab, como Ministro das Cidades do Governo Dilma, tem papel fundamental na gestão dos recursos do Governo Federal junto aos municípios. Ambos ministros, tem a mesma importância na articulação da base de apoio político do governo no Congresso Nacional.

Importante destacar o PSD tem como um de seus principais eixos de representatividade na sociedade brasileira o segmento empresarial do comércio e serviços, fundamental na economia brasileira, principalmente porque o partido é um dos principais interlocutores destes segmentos junto ao Governo Federal na busca de soluções em momentos de crise como o que vivemos atualmente. Quando fez a opção em fazer parte da base de sustentação do Governo Dilma, obviamente que preservando o tom crítico nos fundamentos em que não concorda, o PSD coloca em primeiro lugar os interesses do Brasil, da manutenção do emprego de milhares de brasileiros.

No entanto, pelo fato de assumir esse posicionamento político, o PSD também se torna alvo das forças políticas de oposição e seus aliados, principalmente na mídia, que tem como objetivo prioritário apenas e tão somente em primeiro lugar a conquista do poder.

Já escrevi aqui neste blog que uma mídia partidária como a que existe aqui no Brasil é nociva para a sociedade brasileira em todos os seus seguimentos, inclusive os empresariais, como os que o PSD representa.

Nesse contesto, não são somente as forças políticas e sociais que podem ser literalmente vítimas de chantagem de veículos de comunicação, como por exemplo, a Rede Globo dos irmãos Marinho, são também setores da economia brasileira importantes para o pais, que podem ser expostos a execração pública a qualquer momento.


Temos que ter claro que enquanto os seguimentos empresariais, que por suas opções políticas, que levam em consideração o que é melhor para sociedade brasileira, não reagirem a chantagem que sempre são submetidos por segmentos da imprensa que “vestem a camisa” de partidos de oposição no Brasil, o clima de ataques inconsequentes permanecerá sempre.


Flávio Luiz Sartori

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

CAMPINAS: JORNAL CORREIO POPULAR ABUSA DE "PEDALADAS" EDITORIAIS, SE RECUSA A SAIR DO GOLPE E MANTEM CONVOCAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE GRUPOS DE DIREITA.

Enquanto o Correio Popular de Campinas mantiver suas "pedaladas" editoriais
jamais será respeitado pela imensa maioria da sociedade de Campinas e
região. Continuara relegado aos guetos de minorias, as elites atrasadas.


Não sei se deveria escrever este texto, algumas pessoas amigas me alertaram que se eu fizesse um questionamento, digamos uma contestação a uma das principais empresas de jornalismo de Campinas e região que é e sempre foi aliada das elites atrasadas, aquelas com origem escravagista, eu estaria correndo o risco de ter minha vida vasculhada no sentido de que se fosse encontrado algum “podre” para sair noticiado com destaque e assim eu ser desqualificado, ou melhor desmoralizado em público.

Sinceramente, não acho que os proprietários do jornal Correio Popular, da empresa RAC, se prestariam a este papel por causa de um simples mortal como eu, no entanto, todo cuidado é pouco, fica o alerta.

Vamos aos fatos, o Jornal Correio participou ativamente, inclusive assumindo uma postura panfletária, da convocação de todas manifestações  contra o Governo Dilma Roussef deste ano, para se ter uma ideia do grau de participação, em todas manifestações o jornal chegou a noticiar a previsão de que mais de 50 mil pessoas iriam nas manifestações.

O comprometimento do Correio Popular com o PSDB é histórico, nas eleição para Prefeito de Campinas de 2000, quando o falecido Prefeito Antonio da Costa Santos foi eleito Prefeito, logo no início da campanha eleitoral em uma edição do jornal de final de semana foi entregue com um encarte da propaganda eleitoral do candidato tucano, o hoje Deputado Federal Carlos Sampaio.

No mesmo jornal existe uma coluna denominada a Correio do Leitor, seguramente mais de noventa por cento das mensagens políticas de leitores do Correio Popular que são publicadas nesta coluna são totalmente contrárias aos Governos do PT e aliados. As mensagens são repetitivas das mesmas pessoas, em menos de um mês um mesmo anti petista pode ter suas mensagens publicadas mais de uma vez.

Hoje, 13/08, o jornal Correio Popular que parecia não estar com o ímpeto demonstrado nas manifestações anteriores, entrou de uma vez por todas no chamamento da manifestação convocada por grupos de direita e o PSDB para este final de semana. Mais uma vez o jornal publica informações sobre a convocação da manifestação, informa horários e da dicas de como devem se comportar os manifestantes com trajetos e horários.

Como anteriormente, o Jornal Correio Popular faz a previsão ufanista de que mais de 50 mil pessoas deverão comparecer a manifestação convocada, o que é uma temeridade, quando que das outras vezes um número bem menor compareceu.

Enquanto continuar praticando uma linha editorial de direita e voltada para somente o segmento da classe média alta de Campinas, principalmente dos bairros tradicionais das elites campineiras, como por exemplo, Cambuí e  Nova Campina, o Correio Popular jamais chegará a ser um meio de comunicação confiável de toda a sociedade campineira. Maior prova deste fato esta nos resultados das eleições municipais de Campinas desde os anos oitenta do século passado, onde o PSDB, o partido preferido do Correio Popular, sofreu seguidas derrotas, tendo vencido somente em 1992 com Magalhães Teixeira e agora recentemente em 2012 quando Jonas Donizetti foi eleito prefeito em meio a comoção provocada por uma crise política que levou a cassação de dois prefeitos e isso levando em consideração o fato de que o PSDB que teve que aceitar um papel secundários na coligação de Jonas, filiado ao PSB, um partido que em 2012 fazia parte da base aliada do Governo Dilma.


Com a atual linha editorial, o Correio Popular fica cada vez menos jornal e cada vez mais apenas um panfleto tucano, ideologicamente de direita e, o que é pior, com a admiração de grupos fascistas.

domingo, 9 de agosto de 2015

SE O RECUO DOS GRUPOS MIDIÁTICOS E SETORES DA ELITE, TENDO A GLOBO DOS IRMÃOS MARINHO Á FRENTE, NÃO FOR UMA TRAIÇÃO, O QUE RESTARÁ SERÁ DESMONTAR TODO UM CLIMA DE ÓDIO QUE FOI PLANTADO NA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FORMA IRRESPONSÁVEL.


O único caminha para que a jovem democracia brasileira se consolide
cada vez mais será o da democratização da mídia.


A partir das manifestações de 2013, a direita brasileira com tendências ao fascismo, que estava escondida sob o manto de um falso pluralismo cultural e multirracial, começou a dar o ar da graça expondo de maneira transparente o preconceito que estava represado sob a justificativa do politicamente correto.

Desde que me entendo por gente, com conhecimento acumulado para um mínimo de assimilação das informações, observo que existe a permanente sensação de que a ausência de preconceitos cultivada no Brasil nas aparências é falsa, principalmente pelas pessoas pertencentes às classes sociais mais abastadas, a classe média alta e as elites. O preconceito de classe sempre esteve incutido em significativa parcela das pessoas, principalmente as que tem algum tipo de poder econômico.

A ascensão social das pessoas que viviam próximas e também na própria miséria a partir de 2003, com a chegada de Lula a Presidência da República, na medida em que foi ficando mais evidente, também foi sendo acompanhada pelas elites brasileiras com cada vez mais resistência, em um processo que foi acontecendo em cadeia a partir dos Estados do Sul e Sudoeste do Brasil, principalmente de São Paulo, tanto no interior como nas Regiões Metropolitanas, como é o caso de Campinas.

Historicamente os principais alvos dessa direita ideológica, que parecia adormecida desde o inicio do governo petista e aliados, sempre foram e continuam sendo os brasileiros mais pobres das periferias dos grandes centros urbanos e os nordestinos, principalmente os afros e índios descendentes, não deixando de incluir nesse cenário os grupos GLS, que a partir do Governo Lula cada vez mais tiveram seus direitos respeitados.

Um fato que passou desapercebido, mas que foi muito emblemático nesse período veio de um artista de renome da música popular brasileira nascido e criado no Nordeste, com origem em uma família abastada e tradicional do Nordeste, quando ele reclamou de não existir mais primeira classe em uma viagem do Nordeste para São Paulo porque foi obrigado a viajar de avião na companhia de “empregadas domésticas” que iam visitar seus parentes.

Isso tudo trouxe à tona o preconceito de classe social traduzido em um inconformismo em relação à ascensão social de milhões de brasileiros, que passaram a ter acesso a bens de consumo que antes não tinham, mas o pior para as elites não foi só isso, foi ver estes mesmos brasileiros terem acesso ao ensino superior em numero cada vez maior. Isto significou um processo de expansão da cidadania plena nunca antes visto no Brasil.

Na medida em que a mídia, pertencente a esta mesma elite aliada politicamente ao PSDB e outros partidos de direita, foi aumentando seu ataque aos governos Lula e depois Dilma, foram sendo cooptando cada vez mais seguidores desta direita na classe média alta, nas elites e até mesmo nas periferias das cidades.

O recrudescimento da crise econômica a partir do segundo semestre da 2015 atingiu o Governo Dilma do primeiro para o inicio do segundo mandato da Presidenta e serviu de motivo para a radicalização das ações de protesto contra o Governo sob o controle dos grupos de direita, principalmente os de tendência fascista. Esse processo se tornou mais agudo porque o Congresso Nacional após a eleição parlamentar de 2014 teve sua composição deslocada ainda mais para o controle de grupos fisiológicos notadamente de direita contrários aos partidos de esquerda.

A crise econômica que mesmo não sendo tão aguda como a que aconteceu no Governo Tucano de FHC, devido a pressão da mídia, tendo a Globo dos Irmãos Marinho à frente, se transformou em uma crise política criada artificialmente com o objetivo de forçar a barra para a cassação do mandato recém conquistado eleitoralmente pela Presidenta Dilma Roussef por uma Câmara dos Deputados comanda por um de seus membros menos confiável e acusado de corrupção, o Deputado Federal Eduardo Cunha, que foi introduzido na política por ninguém menos que Paulo César Faria.

Se realmente se confirmar o recuo dos setores da mídia do objetivo de desestabilizar e cassar o Governo Dilma em golpe tipo paraguaio e também não for uma traição destes grupos tendo a Globo à frente, o que restará será uma multidão de órfãos do golpismo inconformados por terem sido abandonados no meio do caminho. Nesse caso, pergunta que restará será o que fazer com eles?

O monstro fascista, que parecia dormir e que se revelou e se apossou de uma parcela da opinião pública polarizada pelo ódio e o preconceito, não abandonará seus objetivos tão facilmente e rapidamente.

Mesmo mantida a legalidade viveremos sob tensão por um bom tempo ainda.


Flávio Luiz Sartori

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

INCONFORMADOS COM O FATO DE QUE NÃO CONSEGUEM CONVENCER A MAIORIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA A ADERIREM A SEUS PROTESTOS, PANELEIROS APELAM E INVADEM O TWITTER COM MILHARES DE FALSOS SEGUIDORES.

Em um primeiro momento pode até parecer que era uma participação massiva
de twitteiros, que teriam aderido ao panelaço, mas uma observação detalhada
mostra que na realidade #panelaço não passou de uma farsa.


Sou da mesma opinião expressada no site Os Amigos do Presidente Lula, o programa do PT na televisão desta noite teve o mérito de colocar as coisas de forma bem claras para a maioria da população, estabelecendo um divisor de água e mostrando quem são a maioria dos que bateram panelas; a classe média alta, a elite branca com origem escravagista. Por isso os paneleiros desta noite ficaram nervosos e apelaram, sabem que o impacto do programa do PT será extremamente negativo para eles e que a crise esta chegando ao fim, logo não terão mais muito espaço para fazerem seus discursos fascistas.

Acompanhei pela Internet o evento e logo de cara, quando apareceram os primeiros vídeos, percebi que eram muito curtos, chegavam no máximo a trinta segundo e mostravam os prédios com luzes acesas sendo poucas piscavam, o barulho era das panelas dos próprios realizadores dos vídeos. Como não tinham eventos massivos para mostrar os vídeos só podiam ser curtos.

Mas uma coisa não passou desapercebida, foi a hashtag #panelaço no twitter. Como #panelaço apareceu como assunto mais comentado daquele momento, se eu estava monitorando minha conta no twitter uma hora antes do programa do PT e encontrei poucos twiteiros comentando sobre o programa do PT ou mesmo convocando o panelaço? E observem que tenho mais de 44 mil seguidores e sigue outros mais de 43 mil twiteiros, https://twitter.com/flsartori.

Esta certo que grupos podem se mobilizar, mas, um fato logo ficou evidente, as “pessoas”, que estavam twitando na hashtag #panelaço tinham um perfil diferente das que costumam twittar normalmente. Apareceram twitters de artistas, como por exemplo, da Luana Piovani, que twittou no grupo mais de quinhentas vezes, isso mesmo tive a pachorra de contar e o que é pior essa Luana tem apenas 4.811 seguidores. Espera ai, uma artista como a Luana Piovani com só isso de seguidores? Claro que é o que chama de “robô”, uma identidade falsa no twitter. Tinha de tudo, um tal de Stalin Burrinho, que twitou outras mais de 300 vezes, também cito a Reaçonária, também muito repetida.

Também observei a presença constante de um twitter da Veja, que também pode até ser falso, juntamente com Jornal Extra, Portal do Tempo, Observador Político, Foco Brasil dentre uma infinidade de nomes representando grupos e ou empresas, alem dos conhecidos UOL, Estadão, G1, Correio Popular aqui de Campinas e jornais de outras cidades. 

Importante deixar bem claro que a maioria dos twitters na hashtag #panelaço foram repetidos de forma cíclica com as mesmas informações, como que se fossem parte de uma linha de produção.

Dessa forma, a hashtag #panelaço ficou na liderança do Twitter por mais de duas horas e isso pode pode até servir de discurso para os paneleiros de que o movimento deles neste 06/08 teria sido massivo com participação de muitas pessoas. No entanto, na realidade isso não passou de uma mentira, foi feito apenas para, como se dizia antigamente no Brasil: “Inglês Ver”.

Uma parcela muito pequena da população nas cidades participou deste protesto e diante deste fato só restou aos seus organizadores a tentativa de querer passar para a população a falsa informação de que foi um movimento massivo que teria acontecido em todo Brasil. 

Mais uma vez repito, MENTIRA, foi pura enganação e o que se percebe é que a maioria das pessoas, a maioria silenciosa e decisiva, esta cada vez mais percebendo que os paneleiros, se tem algum problema, falta de alimento é que não é.

sábado, 25 de julho de 2015

A CADA DIA QUE PASSA A GESTÃO DO ATUAL PREFEITO DE CAMPINAS JONAS DONIZETTE E SEUS ALIADOS, PRINCIPALMENTE OS TUCANOS, FICA MAIS IMPOPULAR.


A elite de Campinas teima em ignorar quem são os eleitores 
que realmente decidem quem deverá governar a
cidade a cada quatro anos.


SE PERSISTIR O ATUAL QUADRO, NEM MESMO COM APOIO DE PRATICAMENTE TODOS PRINCIPAIS JORNAIS, RÁDIOS E CANAIS DE TELEVISÃO DE CAMPINAS, JONAS CONSEGUIRÁ SUA REELEIÇÃO.  


A eleição para Prefeito de Campinas, depois da eleição para Prefeito de São Paulo é a mais importante do Estado porque Campinas é a principal cidade de uma das regiões metropolitanas mais fundamentais do Brasil e porque o eleitorado de Campinas continua sendo extremamente crítico e pragmático ao mesmo tempo, isso fica evidente na história da disputa política do município a partir dos anos sessenta do século passado.

Figuras públicas, que chegaram ao cargo de Prefeito de Campinas, por exemplo, Rui Novaes, Orestes Quércia, Chico Amaral e Jacó Bittar, foram para a condição de irrelevantes esquecidos com a mesma facilidade em que chegaram ao poder como esperança dos seus eleitores. Magalhães Teixeira só não teve o mesmo destino porque morreu precocemente. Dr. Hélio, depois de quase sete anos no poder e de ter seu mandato cassado pela Câmara de Vereadores, ainda é considerado o melhor Prefeito de Campinas, aprovado por significativa parcela dos eleitores campineiros, ainda mais depois de três anos de uma gestão não convincente do atual prefeito Jonas Donizette.

Na medida em que Outubro de 2016 se aproxima e o governo Jonas não consegue se consolidar diante do exigente eleitorado campineiro, a opção política pela oposição ocupa cada vez mais espaços na opinião pública em um processo que logo se tornará irreversível para Jonas em sua pretensão de ser reeleito.

Jonas Donizette foi eleito não só pela coligação de partidos que o apoiou, mas também com apoio dos principais veículos de comunicação de Campinas, principalmente o RAC do Jornal Correio Popular, a Globo EPTV dos Coutinho Nogueira, os “irmãos Marinho” do interior de São Paulo e o Jornal Metro, que não passa um panfleto tucano distribuído nas esquinas do centro e adjacências de Campinas. Todas estas empresas de comunicação que incluem jornais escritos, rádios, sites e canais de televisão, possuem praticamente a mesma linha editorial política notadamente de direita refletindo o interesse de uma elite campineira branca com origem escravagista.

Como o Governo Jonas esta em situação cada vez mais difícil para tentar a reeleição, a única maneira que restará ao segmento da elite campineira que apóia os partidos que dão sustentação política ao Governo Jonas será usar o poder do Correio Popular, EPTV e Metros da vida que,  apoiam este governo, para atacar os principais adversários oposicionistas que tem condições de derrotar a aliança conservadora tucana de Jonas. Praticamente todos os dias estes veículos de comunicação dedicam boa parte de seus noticiários para atacar o PT e desqualificar legados do ex-prefeito Dr. Hélio.

O Correio Popular e o Metro tem se destacado por ataques praticamente diários ao PT e ao Governo Dilma, estes jornais funcionaram praticamente como panfletos nas manifestações organizadas por grupos de direita recentemente em Campinas, exagerando no número de participantes nos eventos com números falsos. No Correio Popular basta uma leitura rápida na página 3 na secção Correio do Leitor para conferir como o antipetismo tem espaço garantido no jornal, mas não é só isso, a maneira encontrada pelo jornal para tentar diminuir o apoio que o ex-prefeito Dr. Hélio tem entre os campineiros, independente dos motivos que levaram a sua cassação e que estão correndo em processo na justiça, foi atacar em diversas reportagens de capa a obra mais emblemática do ex prefeito, a rodoviária de Campinas, até escada rolante com defeito foi motivo para reportagem.

Mesmo assim, como foi escrito no inicio deste texto, maioria dos eleitores de Campinas  tem uma postura extremamente pragmática, antes de se lavar por um clima de denuncias e acusações, deverá levar em conta suas necessidades mais prementes e optar por candidatos que convençam com programas de governo voltados para as necessidades da maioria da população que mora nos bairros periféricos, principalmente regiões do Ouro Verde e Campo Grande dentre outras.

Não é mais possível aceitar passivamente o sofrimento da maioria de uma população que é obrigada a passar praticamente de duas a três horas em um dia de 24 horas dentro de ônibus lotados em horários de pico com passagens consideradas dentre as mais caras do Brasil, sem contar o fato da confusa e trapalhada tentativa de implantar o pagamento da passagem via cartão com a retirada dos cobradores, com a população sendo obrigada a pagar R$ 5,50 pela passagem em dinheiro em um processo  que certamente contribuiu e continua contribuindo para a impopularidade de Jonas, tanto é que foi interrompido sem maiores explicações, restando agora aos motoristas de ônibus acumular a função de cobrador.

Serão os eleitores campineiros críticos à gestão de Jonas Donizette frente a Prefeitura de Campinas que votarão para escolher o próximo prefeito em Outubro de 2016 e não aqueles que os Correio Popular, EPTV e o Metro estão tentando criar para salvar o ineficaz governo Jonas.


Flávio Luiz Sartori

domingo, 19 de julho de 2015

NÃO SE ENGANEM O GOLPE ESTA SENDO COMANDADO DIRETAMENTE DO JARDIM BOTÂNICO PELA REDE GLOBO DOS IRMÃOS MARINHO COM CUNHA E RENAN À SERVIÇO DELES.

As articulações para o golpe para derrubar o governo constitucionalmente
eleito da Presidenta Dilma Roussef são tramadas pelos irmão Marinho
diretamente da sede da Rede Globo no Jardim Botânico, Rio de Janeiro.


Uma das piores coisas que fazemos na vida é se negar a enxergar a realidade quando ela esta muito mais do que clara bem na nossa frente.

Em nenhum momento a Globo deu sinais de que irá esmorecer em seu intuito de apoiar o golpe contra Dilma Roussef. A todo o momento, nos meios de comunicação “Globais” via TV Globo, Globo News, Jornal o Globo, G1 ou na Revista Época, a que disputa o título de campeã do “Troféu Detrito Sólido da Maré Baixa” com a Veja, os ataques contra o PT, o PC do B e outras forças políticas de esquerda e progressistas que apoiam o Governo Dilma não cessa.

Os irmãos Marinho sabem muito bem que a chance de levar adiante um processo de afastamento da Presidenta Dilma Roussef pela Câmara dos Deputados esta ficando cada vez mais difícil e que a única possibilidade de continuarem tumultuando o Brasil, com o fantasma da derrubada de Dilma será pelas mãos de Eduardo Cunha e Renan Calheiros.

Eduardo Cunha chegou ao máximo do ponto de intolerância diante da opinião pública na medida em que já está desmascarado. A cada momento que permanecer à frente da presidência da Câmara dos Deputados estará enlameando não só a classe política, como também a instituição Congresso Nacional como um todo.

Renan Calheiros finge de bonzinho, mas também está em apuros na Lava Jato e já não tem muita possibilidade de manobra para se safar.

Ambos, desde de o primeiro momento quando chegaram à presidência Câmara dos Deputados e do Senado, se mostraram frágeis diante das Organizações Globo e em todos os momentos o que mais fizeram foi fazer tudo no sentido de criar fatos que remetem ao aprofundamento da crise para serem explorados pela mídia elitista contraria ao Governo. Também pudera, basta uma reportagem no Jornal Nacional ou no Fantástico, ainda assistidos por uma minoria desinformada, denunciando suas falcatruas, para que eles não durem sequer um minuto no poder.

A articulação que elegeu Cunha Presidente da Câmara por si só já é uma demonstração de como o poder econômico que defende o golpismo se movimentou para garantir uma maioria de parlamentares fisiológicos e permeáveis à pressão favorável ao golpe. Renan não, foi eleito com apoio das forças progressistas com o PT e o PC do B à frente, mas sua condição política de investigado em várias instancias o impede de enfrentar os irmãos Marinho.

A denuncia do delator Júlio Camargo no processo da Lava jato contra Eduardo Cunha na semana passada apenas precipitou os fatos e colocou o Presidente da Câmara e também Renan ainda mais contra a parede.


Ambos, na condição de enfraquecidos, estão totalmente a mercê dos desejos do Jardim Botânico e é neste cenário de pressão e chantagens é que os irmãos Marinho jogarão, talvez a sua ultima cartada na esperança de continuarem a se considerarem como os  “intocáveis reis do Brasil”.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

DEPOIS DA AÇÃO DE ONTEM DA POLÍCIA FEDERAL NO DESDOBRAMENTO DA OPERAÇÃO LAVA JATO, GLOBO, FOLHA, ESTADÃO E OUTROS DO PIG EMITEM SINAIS QUE ESTÃO PREOCUPADOS COM A POSSIBILIDADE DE QUEDA DE SEUS "PAUS MANDADOS" NO CONGRESSO NACIONAL.


Jaboti não sobe em árvore, quando sobe é que alguém
colocou ele lá. Entenderam ou precisa desenhar?


Depois da ação de ontem da Polícia Federal no novo desdobramento da operação Lava Jato, que teve como conseqüência ações da Policia Federal  autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal contra políticos, no caso ex-ministros, senadores, deputados e até mesmo o ex-presidente Fernando Collor, numa demonstração do que estaria por vir, principalmente contra Eduardo Cunha e Renan Calheiros, nesta quarta feira, 15 de junho de 2015, o comportamento do Partido da Imprensa Golpista, principalmente a Globo dos irmãos Marinho (os mais açodados), a Folha (UOL) e o Estadão, esta sendo o de dar destaque as ameaças do Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, de que pretenderia infernizar a vida do Governo Dilma na Câmara dos Deputados, criando um clima de ingovernabilidade e crise política. Cunha teria inclusive já avisado o Vice Presidente Michel Temer sobre suas intenções.

Até este momento Renan Calheiros não caminhou no mesmo sentido de Cunha.

Enquanto a Globo, através do G1, meio que perdida tenta ressaltar a indignação de Collor com os fatos de ontem, o Estadão e a Folha (UOL)  tentam botar mais lenha na fogueira abusando no esforço de lançar o Congresso Nacional contra a ação da Policia Federal e do procurador Rodrigo Janot comandados por uma ordem do Supremo.

A Folha (UOL) insinua que a situação do Governo Dilma seria duríssima e que o PSB, PTB e PP estariam nervosos por terem sido atingidos pelas buscas, com o PMDB, que estaria cotado para ser o principal alvo das próximas ações, em estado cada vez mais nervoso e prometendo dar o troco.

O Estadão não ficou atrás, sua manchete de hoje diz tudo, a Polícia federal fez buscas na casa de Collor e dois senadores e que o Congresso reagirá. Eliane Cantanhede, a rainha dos coxinhas, não perdeu a oportunidade de insinuar que Collor teria se infiltrado na Petrobrás na era Lula.

Tudo isso demonstra de maneira bem clara que a elite golpista instalada nos partidos de direita, principalmente PSDB e DEM, aliada à Globo dos irmãos Marinho, Folha (UOL), Estadão e outros sentiu o golpe diante da possibilidade de seus aliados no Congresso Nacional perderem o poder de chantagem que tem mantido o Governo Dilma e seus partidos apoiadores na defensiva, como tem acontecido até agora.

Seguindo este raciocínio, a reunião do Eduardo Cunha com Paulinho da Força e Gilmar Mendes, ocorrida na semana passada e denunciada como golpista junto ao Ministério Público Fedral por Pedro Benedito Maciel aqui de Campinas e repercutida no Conversa Afiada, http://www.conversaafiada.com.br/politica/2015/07/14/advogado-representa-contra-reuniao-do-impitim/,  esta mais do que explicada.



sexta-feira, 26 de junho de 2015

PARA MÁRCIO POCHMANN NEM JUSCELINO KUBITSCHEK TINHA MAIORIA NO CONGRESSO NACIONAL, ELE TEVE QUE CONSTRUIR UM A MAIORIA NAS RUAS COM APOIO DO POVO.

Direto da Rede Brasil Atual por Eduardo Maretti, da RBA publicado em 25/06/2015 21:12

Em seminário promovido pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo o economista, que foi candidato a Prefeito de Campinas com excelente votação e disputou o segundo, classificou o Parlamento conservador como problema corrente no Brasil além de cobrar do governo plano de ação por apoio social.


Márcio Pochmann: “O Estado brasileiro não 
só arrecada dos pobres como gasta com 
os ricos. As famílias que ganham até dois 
salários mínimos pagam cerca de 47% do que 
ganham com pagamento de tributos.”

São Paulo – O Brasil não fará um “ajuste” eficaz na economia se não incluir a reformulação do sistema tributário. O alerta foi feito hoje pelo economista Miguel Huertas, representante da CUT, em seminário que tem como tema e “alvo” o sistema de impostos no Brasil. Para Huertas, se o país está “discutindo ajuste fiscal e outras reformas um debate tão central e estruturante, como a reforma tributária, não poderia estar de fora como está”. Segundo ele, o sistema brasileiro onera o consumo e o investimento e é um dos principais fatores para a desigualdade social no nosso país.

O seminário De Qual Reforma Tributária o Brasil Precisa é promovido pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo. A mesa de abertura teve a participação do presidente da central em São Paulo, Adi dos Santos Lima; da presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral; do professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Marcio Pochmann, presidente da Fundação Perseu Abramo, e mediação da presidenta do sindicato, Juvandia Moreira.

A presidenta da UNE reiterou a crítica à condução da política econômica. “O ajuste fiscal não mexe na injustiça tributária, mas no gasto social”, afirmou. Juvandia questionou sobre o desafio de travar esse debate no plano nacional ante a resistência do Congresso e dos meios de comunicação. “Como fazer uma reforma tributária com esse Congresso Nacional conservador e uma mídia interessada em manter esse status quo?”

Márcio Pochmann observou, então, que o país nunca teve tradição de congressos progressistas e que é tarefa do governo elaborar um plano de ação que conquiste, mais que os votos do Parlamento, o apoio da sociedade. “Dá para contar nos dedos um Congresso que tenha sido progressista. É necessário planejar o que vamos fazer nos próximos três anos. Juscelino Kubitschek não tinha maioria. Construiu a maioria na rua, com diálogo e articulação, com agenda de 50 anos em cinco, que foi feita com o povo. A agenda dele foi o Plano de Metas. Nós não podemos aceitar a mediocridade”, afirmou.


De acordo com o professor, também colunista da RBA, pagar impostos teoricamente é um ato de cidadania. “Mas infelizmente não somos um país de cidadania plena. Nossa tributação não se estende para todos. O Estado gasta com os ricos e não com os pobres. Os ricos são os que mais reclamam (de pagar impostos) e os que menos pagam. Precisamos construir uma nova maioria política para democraticamente caminhar no sentido da justiça tributária. Se nós da esquerda não pensarmos, a direita já tem tudo pronto”, disse Pochmann. “O Estado brasileiro não só arrecada dos pobres como gasta com os ricos. As famílias que ganham até dois salários mínimos pagam cerca de 47% do que ganham com pagamento de tributos.”


Cartilha

Durante o seminário, o sindicato lançou uma cartilha com a finalidade de apresentar as contradições do sistema de impostos no Brasil e alternativas para torná-lo mais justo como instrumento de distribuição. A publicação foi redigida pelo economista João Sicsú, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O professor Gilberto Maringoni, da Universidade Federal do ABC e também cartunista, assina as ilustrações

O texto analisa o sistema tributário brasileiro como "complexo e regressivo" ao concentrar a arrecadação em impostos sobre consumo, seja de eletrodomésticos, bebidas ou alimentos. E exemplifica como o formato é injusto ao levar pobres e ricos a pagar o mesmo valor sobre um determinado produto. “O tributo que incide sobre um pacote de macarrão, por exemplo, pesa no orçamento de quem ganha um salário mínimo, mas os ricos nem sequer percebem esse valor.”

Segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os 10% mais pobres destinam 32% das suas rendas para pagar impostos, enquanto os 10% mais ricos desembolsam apenas 21%. Isso decorre em parte do fato de o maior imposto do país, o ICMS, incidir sobre o consumo. É estadual e, sozinho, representa 20,32% (ou um quinto) de toda a arrecadação tributária do país. Sua carga é de 7,18% do PIB, diz a cartilha.

A edição observa que o ICMS é também responsável pela chamada “guerra fiscal” entre os estados. Cada unidade da federação tem a própria lei. Assim, os governos usam o imposto como instrumento para atrair empresas, por meio de benefícios fiscais. Para mexer no ICMS, é preciso discutir o próprio pacto federativo, defende o texto de João Sicsú.


CargaCarga tributária

De acordo com estudos do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) divulgado no ano passado, 55,74% da arrecadação tributária do país, incluindo União, estados e municípios vêm de impostos sobre consumo, enquanto 30,48%, da tributação da renda (15,64% da renda do trabalho). Mas a tributação sobre patrimônio é de apenas 3,7%. Outro problema é a recusa dos poderes de encarar questões para as quais falta vontade política. A Constituição Federal de 1988 prevê a cobrança do imposto sobre grandes fortunas, mas esse tributo precisa ser regulamentado por lei complementar, o que nunca foi feito pelo Congresso Nacional.

Sicsú observa que “os que não querem mudanças” desenvolvem campanhas que simplesmente condenam a carga tributária no Brasil. “Uma meia-verdade”, diz. Segundo dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a carga tributária brasileira é inferior a muitos países. A carga tributária corresponde atualmente a 35% do PIB do Brasil, menor do que a da Alemanha (37,1%), Áustria (42,1%), Bélgica (44%), Dinamarca (48,1%) e Itália (42,9%), entre outros. “O problema é que em outro países há educação pública, sistemas de saúde e outros serviços, como transporte, gratuitos e de boa qualidade”, ressalva o autor.



quinta-feira, 4 de junho de 2015

DE COSTA PARA SOCIEDADE: ARTIGO DE JOSÉ VIEIRA MOSTRA PARA UM GRUPO DE VEREADORES SECTÁRIOS E DESCONECTADOS DA REALIDADE E DA LEGALIDADE QUE A DEMOCRACIA NÃO PODE SER CONFUNDIDA COM INTOLERÂNCIA.


A menos de duas semanas em um 
plebiscito na Irlanda mais de 60% dos 
eleitores aprovaram o casamento gay.


Direto do site http://brasilcritico.com.br/ e do Jornal Correio Popular

DE COSTAS PARA A SOCIEDADE por José Vieira 

A cada dia os brasileiros têm mais motivos para repudiar a conduta de alguns políticos. Não bastasse a corrupção desenfreada, tornada pública graças a uma imprensa livre de amarras e à seriedade de alguns organismos estatais, um grupo de vereadores de Campinas/SP, numa absurda e inimaginável pantomima discriminatória, causa desnecessária polêmica ao proferir discursos de ódio a minorias durante uma sessão da Câmara Municipal.

Em que pese o direito de serem contrários à proposta legislativa que insere a discussão de gênero nas escolas municipais, pois assim agindo representam parcela significativa da sociedade, os vereadores perderam a linha e jogaram no lixo sua razão, principalmente quando um deles, do PTB, segundo matéria do jornal Correio Popular, publicada em 28/05/2015, teria vociferado: “Nós não vamos aceitar que uma minoria tenha voz”. Outro parlamentar, do SDD, chegou a dizer para o público presente: “Deus está aqui e o diabo está lá. Nós vamos para o céu e vocês para o inferno”. Tudo isso é inconcebível em um estado democrático e de direito.

Apenas para ilustrar o absurdo da situação, o PTB, partido do vereador que proferiu a pérola, possui departamentos estaduais das chamadas “minorias”(afrodescendentes, religiões, homossexuais) criados justamente com o objetivo de protege-las de ataques ferozes como o que um de seus representantes realizou.

Temas polêmicos devem ser tratados à luz da legislação vigente ou do Direito. Mas, ao que tudo indica, os nobres vereadores não tiveram cuidado e respeito pelos cidadãos ao tratarem de forma tão grotesca a questão em pauta, da mesma maneira que não respeitaram seus próprios partidos: DEM, SDD e PTB que, como todos os partidos políticos, possuem e buscam sempre ampliar seu apoio político à custa das “minorias”.

Talvez por desequilíbrio emocional, incompetência pura, ou pela falta de assessoria qualificada para tanto, tenham se valido de argumentos trazidos do sectarismo religioso. Ressalte-se, e a história já deu provas cabais disso, ser temerária a mescla entre religião e Estado.

A questão analisada, discussão de gênero nas escolas, é atual e complexa a ponto de muitos sequer discutirem o tema. Porém, quem serve à população por meio de um mandato representativo assume o risco e tem a incumbência, por ofício, de tratar de assuntos dessa natureza ou piores; não como um cidadão comum, mas como alguém que tem responsabilidade delegada por milhares e será cobrado por isso.

Se havia dúvidas quanto à qualidade da representação política na Câmara Municipal de Campinas, agora não há mais. Uma simples busca no Google permitiria encontrar vasta legislação federal e estadual sobre políticas públicas destinadas à questão de gênero no país, cuja leitura, por mais rápida que fosse, impediria tamanho vexame, mesmo que posição contrária à instituição da política de gêneros fosse sustentada, o que seria legitimo, desde que feito de forma técnica.

Como exemplo de legislação a consultar, é possível citar: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional(Lei nº9.364/96), Programa Nacional de Direitos Humanos II (de 2002), Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (2004), Programa Brasil sem Homofobia (2004), Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (2006), e Plano Nacional de Educação-PNE 2014(Lei nº13005/2014).

O que se condena nestas linhas não é o posicionamento contrário à discussão de gênero nas escolas. Absolutamente. É respeitável e correta a idéia de que os pais devem manter a primazia sobre a discussão do assunto com seus filhos. Da mesma maneira que é salutar, em uma sociedade constantemente bombardeada com inovações e informações perniciosas, que a escola possa, tecnicamente, de forma isenta e não indutiva, abordar o tema.

Espera-se que o Ministério Público ou a Defensoria Pública, diante de tudo o que a imprensa divulgou, analisem o caso sob a ótica dos Direitos Humanos, para que os responsáveis pelo triste episódio saibam que não é bom dar as costas para a sociedade.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

LULA: "UM HOMEM QUE FOI PRESIDENTE DA REPÚBLICA (FHC), LETRADO COMO ELE É, NÃO TINHA O DIREITO DE FALAR BOBAGENS, PORQUE SE ELE QUISESSE FALAR DE CORRUPÇÃO NESSE PAIS, ELE DEVERIA FALAR DA HISTÓRIA DA SUA REELEIÇÃO "...


Lula para FHC: "Senta na frente do seu neto e conta pra 
ele como foi a história da aprovação da sua reeleição."



Direto do Conversa Afiada:  http://www.conversaafiada.com.br/tv-afiada/2015/05/21/fhc-conte-para-o-seu-neto-como-foi-a-reeleicao/ .

FHC, em certas situações é melhor ficar calado.






quinta-feira, 14 de maio de 2015

CHANTAGEADOS PELA GLOBO, ESTADÃO, FOLHA E VEJA DENTRE OUTROS, RENAN CALHEIROS E JOAQUIM BARBOSA SÃO OBRIGADOS A SOBREVIVEREM SOB O RISCO CONSTANTE DE TEREM SEUS NOMES ENVOLVIDOS EM ESCÂNDALOS A QUALQUER MOMENTO.



Renan Calheiros e Joaquim Barbosa: condenados a viverem
eternamente sob as ordens do Partido da Imprensa 
Golpista comandado pelos irmãos Marinho da Globo.


Vocês acreditam mesmo que Renan Calheiros esta conspirando abertamente contra a indicação de Luiz Fachin para o Supremo apenas para mostrar poder contra o Governo Dilma?

Renan Calheiros e Joaquim Barbosa se transformaram em farinha do mesmo saco, são pessoas públicas que tem ou tiveram poder e hoje estão permanentemente subjugados ao poder do Partido da Imprensa Golpista, o PIG, principalmente a Rede Globo dos irmãos Marinho.

Em relação a Renan basta lembrar o caso da jornalista Mônica Veloso, sua ex amante, que por sua influencia recebeu durante 21 meses uma pensão de quatrocentos mil reais através de lobistas de uma empreiteira, o que deu origem a um processo que o levou a se afastar da presidência do Senado em 2007, um fato que teve grande repercussão na mídia. Renan também esteve envolvido nos denominados “renangates” dentre os quais podemos citar, o caso do laranjal alagoano, o caso Schincariol e o caso do golpe no INSS.

Joaquim Barbosa tem sobre si as acusação de ter aberto uma empresa nos EUA para comprar uma casa em Miami, com o objetivo de evitar pagamento de impostos, o que na realidade é sonegação e, o caso mais grave, a acusação de ter agredido sua ex-esposa, Marileuza, o que na época de sua indicação gerou o comentário da Ministra do Supremo, Ellen Gracie, então a única mulher da corte, que no intervalo entre uma sessão e outra, mostrou-se preocupada. “Vai vir para cá um espancador de mulher?”

As denuncias que envolvem os dois, figuras públicas de importância na Republica nos poderes legislativo e judiciário, se apresentadas em revistas e jornais e principalmente em telejornais, mesmo que estes veículos de comunicação estejam cada vez menos influentes, ainda podem causar muitos transtornos para eles.

Isso faz com que estejam permanentemente em situação de fragilidade, em um verdadeiro processo de chantagem, ou seja, basta uma reportagem ordenada pelos irmãos Marinho em um Fantástico ou Jornal Nacional para que eles fiquem em uma situação delicadíssima, com suas imagens públicas ainda mais arranhadas de forma definitiva.

Se observados com atenção, tanto Renan quanto Barbosa são pessoas que vivem em eterna tensão, Renan dissimula mais porque é mais experiente, Joaquim Barbosa, não, em todos momentos demonstra estar acuado, nervoso, tenso e descontrolado.

Por isso tanto Renan quanto Barbosa vivem emitindo sinais contrários ao Governo Dilma quando podem para literalmente “amansarem” o PIG e não correrem o risco de serem atacados.

Renan Calheiros nunca perde a oportunidade praticar algum tipo de sabotagem contra o Governo, sua conduta nesse momento em que o Senado decide pela aprovação ou não da indicação pelo Governo Dilma do jurista Luiz Fachin para o Supremo é toda no sentido de sabotar até o fim.

O poder da elite que ainda controla significativa parte da mídia no Brasil se baseia em chantagens permanentes e isso é facilitado por condutas como as de Renan Calheiros e Joaquim Barbosa, homens públicos que tem “o rabo preso” e são obrigados a ficarem se humilhando o tempo todo para não terem suas imagens destruídas em questão de horas e ou dias.