quinta-feira, 1 de março de 2018

DEFENDER LULA CONTRA OS ESCRAVAGISTAS É DEFENDER UM FUTURO DE ESPERANÇA.

Não se trata apenas e tão somente de admirar um líder, mas de ser justo com 
quem realmente mostrou que desigualdade social histórica 
no Brasil pode  sim ser eliminada.



O atual momento histórico pelo qual o Brasil passa não permite vacilo. Podemos ter criticas ao governo do campo progressista com o PT à frente de 2003 até 2016 quando aconteceu o golpe que as elites com origem escravagista, com apoio principalmente dos EUA, desfecharam contra a democracia brasileira, porém é praticamente impossível esquecer os avanços sociais que significativa parcela da sociedade brasileira alcançou nos governos Lula e Dilma e isto não pode ser simplesmente apagados da memória dos milhões de brasileiros, que deixaram a pobreza e conseguiram ter a expectativa de terem seus sonhos realizados.

A condenação injusta de Lula e a tentativa de prendê-lo tirando ele da militância política é um ato de desprezo deste segmento da elite, tendo a Rede Globo à frente , contra a maioria dos brasileiros, que são pessoas honestas e trabalhadoras e que foram fundamentais na luta contra a ditadura militar através da mobilização nas greves dos anos setenta e oitenta do século passado, passando pelas eleições que mesmo tuteladas pela ditadura, progressivamente desde 1974, infligiram derrotas sempre cada vez maiores aos partidos defensores do regime militar, culminando nas grandes manifestações pelas diretas em 1985, que enterraram de vez os governos dos generais.

Mesmo assim foi necessário que o povo brasileiro amargasse os governos Sarney, Collor (que foi cassado comprovadamente por corrupção) e FHC até 2002 quando finalmente a maioria dos eleitores se sentiram plenamente esclarecidos para votar em Lula rompendo assim os grilhões da manipulação das elites contrárias a eliminação da desigualdade social no Brasil.

Lula não desapontou seus eleitores mesmo diante de todos prognósticos de que seu governo seria um fracasso, conseguiu ser o melhor Presidente da Republica da história do Brasil, sendo reeleito em 2006 e, participando ativamente da eleição de sua sucessora Dilma Roussef em 2010 e da reeleição dela em 2014.

Diante deste quadro não restou outra alternativa ao segmento da elite mais atrasado com origem escravagista, senão apostar no golpe em 2016, porém não para entregar o poder em 2018 para Lula novamente porque o plano deste segmento extremamente minoritário da sociedade brasileira a serviço dos EUA é se perpetuar no poder a qualquer custo sem se incomodar com a maldade que isto representa para a maioria da sociedade brasileira.

Para comprovar isto basta uma simples analise dos direitos retirados do povo, como no caso da tal reforma trabalhistas, e também serviços retirados do mesmo povo, como a Farmácia Popular dentre outros, além dos abusivos aumentos dos combustíveis e do gás de cozinha, que trouxeram de volta, através do governo golpista, o cotidiano de aperto que os brasileiros já viveram no regime militar e nos governos Sarney, Collor e FHC. Isso sem contar o desemprego de milhares de brasileiros, que persiste apesar das mentiras da mídia pertencente a mesma elite do atraso.

Por isso mesmo todos nós, que lutamos pela democracia e que somos contra as maldades que os golpistas estão impondo a sociedade brasileira, temos a obrigação histórica de denunciar o golpe e defender Lula, porque sua liderança representa a esperança de um futuro melhor para a imensa maioria da sociedade brasileira, na qual estão inseridos nossos filhos, porque se o governo golpista persistir, certamente estaremos condenados a sobreviver em uma sociedade desigual e dominada por uma elite egoísta, que tem como meta entregar as riquezas do Brasil, principalmente o petróleo do pré-sal, para o capital internacional, os tais dos mercados, que até hoje tudo que conseguiram produzir foi somente a miséria e o sofrimento onde governos patrocinados por eles dominaram.

 Flávio Luiz Sartori


Nenhum comentário:

Postar um comentário