quinta-feira, 30 de novembro de 2017

NOTA DO SINDIMED CAMPINAS: Médicos de Campinas apoiam e saúdam operação do Ministério Público Estadual.

Recentemente os médicos do Hospital Ouro Verde de Campinas, 
por incrível que pareça, entraram em greve por falta de pagamento.


Médicos de Campinas acompanham operação “Ouro Verde" do Ministério Público contra desvios na saúde
 

Desde Março de 2017, quando a diretoria do Sindmed (Sindicato dos médicos de Campinas e Região) levou ao Ministério Público suas suspeitas contra a empresa que gerenciava o complexo Ouro Verde, os médicos aguardavam um desfecho como o de hoje das investigações.


Dr. Casemiro Reis, presidente do SINDMED Campinas,
que denunciou ao Ministério Público as irregularidades 
no Hospital Ouro Verde, que deram origem a ação 
policial de hoje (30/11/2017).

A Organização Social  sem fins lucrativos (OS) Vitale, que recebe cerca de R$ 10 milhões/mês da prefeitura de Campinas para gerenciar o Complexo Hospitalar Ouro Verde, promoveu um completo desmonte do atendimento da unidade de saúde local, com a total omissão do poder público.

Desde que assumiu a gestão, a OS promoveu o desabastecimento e  descaso com o hospital. Faltam insumos básicos para o dia a dia. De gaze a seringa. Faltam profissionais para atender adequadamente a população. Pior: falta o salário em dia para os médicos que, a despeito das adversidades, atendem o povo na unidade que fica na periferia de Campinas.

A pergunta que levou o sindicato a fazer a denúncia judicial é: Se nunca faltou o dinheiro dos cofres públicos, porque falta tudo? A óbvia resposta, negligenciada pela poder público municipal, foi dada pelos promotores na manhã de hoje.

A Vitale  sempre se comportou dessa forma.  Perseguiu e demitiu médicos com registro em carteira para contratar outros por “PJ”, precarizando o trabalhando. Fato questionado pela justiça do trabalho após denuncia do Conselho Regional de Medicina em conjunto com o Sindicato dos Médicos.

Durante o ano trocou os uniformes de todos os funcionários que passaram a ser comprados em empresa de parente de um dos diretores da OS, mesma prática adotada em relação ao pagamento de consultorias, sempre para parentes de diretores. Um escândalo, uma farra com dinheiro público justamente na saúde, área social tão vulnerável do Estado brasileiro.

O Sindmed Campinas seguirá atento e denunciando abusos e desvios na gestão dos recursos para saúde e defendendo a categoria médica que presta um atendimento essencial a população.

Casemiro Reis
Presidente do Sindimed

Nenhum comentário:

Postar um comentário