quinta-feira, 13 de agosto de 2015

CAMPINAS: JORNAL CORREIO POPULAR ABUSA DE "PEDALADAS" EDITORIAIS, SE RECUSA A SAIR DO GOLPE E MANTEM CONVOCAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE GRUPOS DE DIREITA.

Enquanto o Correio Popular de Campinas mantiver suas "pedaladas" editoriais
jamais será respeitado pela imensa maioria da sociedade de Campinas e
região. Continuara relegado aos guetos de minorias, as elites atrasadas.


Não sei se deveria escrever este texto, algumas pessoas amigas me alertaram que se eu fizesse um questionamento, digamos uma contestação a uma das principais empresas de jornalismo de Campinas e região que é e sempre foi aliada das elites atrasadas, aquelas com origem escravagista, eu estaria correndo o risco de ter minha vida vasculhada no sentido de que se fosse encontrado algum “podre” para sair noticiado com destaque e assim eu ser desqualificado, ou melhor desmoralizado em público.

Sinceramente, não acho que os proprietários do jornal Correio Popular, da empresa RAC, se prestariam a este papel por causa de um simples mortal como eu, no entanto, todo cuidado é pouco, fica o alerta.

Vamos aos fatos, o Jornal Correio participou ativamente, inclusive assumindo uma postura panfletária, da convocação de todas manifestações  contra o Governo Dilma Roussef deste ano, para se ter uma ideia do grau de participação, em todas manifestações o jornal chegou a noticiar a previsão de que mais de 50 mil pessoas iriam nas manifestações.

O comprometimento do Correio Popular com o PSDB é histórico, nas eleição para Prefeito de Campinas de 2000, quando o falecido Prefeito Antonio da Costa Santos foi eleito Prefeito, logo no início da campanha eleitoral em uma edição do jornal de final de semana foi entregue com um encarte da propaganda eleitoral do candidato tucano, o hoje Deputado Federal Carlos Sampaio.

No mesmo jornal existe uma coluna denominada a Correio do Leitor, seguramente mais de noventa por cento das mensagens políticas de leitores do Correio Popular que são publicadas nesta coluna são totalmente contrárias aos Governos do PT e aliados. As mensagens são repetitivas das mesmas pessoas, em menos de um mês um mesmo anti petista pode ter suas mensagens publicadas mais de uma vez.

Hoje, 13/08, o jornal Correio Popular que parecia não estar com o ímpeto demonstrado nas manifestações anteriores, entrou de uma vez por todas no chamamento da manifestação convocada por grupos de direita e o PSDB para este final de semana. Mais uma vez o jornal publica informações sobre a convocação da manifestação, informa horários e da dicas de como devem se comportar os manifestantes com trajetos e horários.

Como anteriormente, o Jornal Correio Popular faz a previsão ufanista de que mais de 50 mil pessoas deverão comparecer a manifestação convocada, o que é uma temeridade, quando que das outras vezes um número bem menor compareceu.

Enquanto continuar praticando uma linha editorial de direita e voltada para somente o segmento da classe média alta de Campinas, principalmente dos bairros tradicionais das elites campineiras, como por exemplo, Cambuí e  Nova Campina, o Correio Popular jamais chegará a ser um meio de comunicação confiável de toda a sociedade campineira. Maior prova deste fato esta nos resultados das eleições municipais de Campinas desde os anos oitenta do século passado, onde o PSDB, o partido preferido do Correio Popular, sofreu seguidas derrotas, tendo vencido somente em 1992 com Magalhães Teixeira e agora recentemente em 2012 quando Jonas Donizetti foi eleito prefeito em meio a comoção provocada por uma crise política que levou a cassação de dois prefeitos e isso levando em consideração o fato de que o PSDB que teve que aceitar um papel secundários na coligação de Jonas, filiado ao PSB, um partido que em 2012 fazia parte da base aliada do Governo Dilma.


Com a atual linha editorial, o Correio Popular fica cada vez menos jornal e cada vez mais apenas um panfleto tucano, ideologicamente de direita e, o que é pior, com a admiração de grupos fascistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário