sábado, 1 de março de 2014

DIREITA NAZISTA FASCISTA ASSUME O CONTROLE DE KIEV, CAPITAL DA UCRÂNIA. ESTA COMPROVADO, EUA FINANCIAM MANIFESTAÇÕES E MILITANTES DE DIREITA PARA DESESTABILIZAR GOVERNOS DEMOCRÁTICOS QUE NÃO SEGUEM A "CARTILHA DO TIO SAM".


Em 29 e 30 de setembro de 1941, 92.771 civis ucranianos judeus 
foram levados a Babi Yar e assassinados coletivamente, 
num dos maiores massacres de massa da história. 
Nos meses que seguiram, milhares de outros 
judeus e não-judeus russos foram capturados, trazidos 
à ravina e fuzilados, num total de cerca de 100.000 mortos.

Direto do G1, isso mesmo do G1

A máscara caiu em Kiev, agora vamos ver como os apoiadores das manifestações de Kiev, vão se explicar perante a opinião pública diante da realidade que esta sendo revelada nas últimas horas.


Sem polícia em Kiev, grupos patrulham ruas com bastões, diz BBC
Homens armados se dizem de extrema-direita; outros usam tarja nazista.

As ruas da capital da Ucrânia, Kiev amanheceram neste sábado (1) sem policiais, segundo o site da TV britânica BBC. Com o desaparecimento das tropas do governo, grupos de homens armados passaram a patrulhar as ruas e a praça principal de Kiev, palco de diversos protestos e ainda ocupada por centenas de pessoas.


Alguns dos grupos de auto-defesa usam nos braços tarjas amarelas com o símbolo da divisão alemã SS, um dos principais exércitos do governo nazista. Outros manuseiam escudos improvisados, bastões, tacos e armas de mão para proteger locais onde se reúnem e se dizem "de extrema-direita".

Um dos gupos ouvidos pela BBC disse que luta por temas "nacionais socialistas" e que é ligada à extrema direita. "Nossa revolução é para proteger nosso país contra grupos étnicos que controlam parte dos negócios e da economia" ucraniana, disse o líder de outro grupo.


A ausência de policiais nas ruas de Kiev ocorre após o Senado da Rússia aprovar neste sábado, por unanimidade e em sessão extraordinária, o pedido do presidente Vladimir Putin para que as forças armadas russas sejam enviadas à região ucraniana da Crimeia. O objetivo do envio das tropas seria "normalizar" a situação, em meio às crescentes tensões separatistas na região ucraniana de maioria russa, acirradas após a destituição, pelo Parlamento ucraniano, do presidente pró-russo Viktor Yanukovich.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

DIRETO DO DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO, KIKO NOGUEIRA, MOSTRA COMO ESSA ESTÓRIA DA TENTATIVA DE FUGA DE LÍDERES DO PCC PODE TER SIDO UMA ARMAÇÃO PARA IMPEDIR QUE A POPULARIDADE DE ALKIMIN CAIA MAIS AINDA.


Com a imagem cada vez mais abalada pelo crescimento de criminalidade 
em São Paulo, não será de se estranhar se o PSDB lançar mão de
fatos "plantados" com apoio do Partido de Imprensa Golpista,
com o objetivo de fazer os eleitores de bobos.


Por Kiko Nogueira direto do Diário do Centro do Mundo:

Alguém está sendo feito de bobo na história da fuga espetacular que não houve de chefes do PCC

A história do suposto plano de fuga de chefes do PCC teve, provavelmente, a cobertura mais ampla jamais dada a um evento que não aconteceu e que tem mais furos do que um queijo emmental.

Há dias, uma matéria “exclusiva” estava na Carta Capital, no SBT Brasil e no Estadão, repercutindo em seguida em todo lugar. Um relatório do setor de inteligência do Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público, dava conta de um esquema para tirar Marcola e outros três líderes do PCC da penitenciária de Presidente Venceslau, interior do estado.

O plano, segundo a polícia, estava sendo arquitetado há oito meses. Os criminosos estariam serrando as grades das janelas de suas celas, colocando-as de volta em seguida, devidamente pintadas. Eles sairiam dali para uma área do presídio sem cobertura de cabos de aço, onde seriam içados por um helicóptero com adesivos da Polícia Militar. Uma segunda aeronave, blindada e com armamento pesado, daria cobertura.

Membros da facção teriam tido aulas de pilotagem no Campo de Marte com um dos sujeitos que foram detidos carregando cocaína no helicóptero dos Perrellas. O destino do bando seria Loanda, no Paraná, distante 240 quilômetros. Ali haveria uma chácara e um avião para levá-los ao Paraguai.

O tal vazamento criou situações surreais. O Estadão publicou que os policiais estavam de tocaia aguardando os criminosos em Venceslau. A Globo foi até lá. No Jornal Nacional, um repórter perguntava, sussurrando, a um franco atirador como funcionava a arma dele. Diante da falta de ação, era o jeito.

O governador Geraldo Alckmin confirmou a existência do ardil e elogiou a corporação na rádio Jovem Pan. “Primeiro, o empenho da polícia de São Paulo, 24 horas, permanentemente, contra qualquer tipo de organização criminosa, tenha a sigla que tiver. São Paulo não retroage, não se intimida. É a maior polícia do Brasil, mais preparada. Segundo, em relação a esse caso, a polícia investigou e, lamentavelmente, isso acabou vazando. Mas a polícia está toda preparada e nós temos um esforço grande nesse trabalho”.

Tudo bem que não temos um FBI ou uma Scotland Yard — talvez a Sûreté do Inspetor Clouseau –, mas, se a inteligência policial é tão preparada, como é que um relatório desses é divulgado dessa maneira? E, se a coisa era tão perigosa, com dois helicópteros cheios de homens com fuzis e metralhadoras, o que explica a presença de toda a imprensa no local?

Por fim, se o PCC é capaz de elaborar uma escapada nesse nível de complexidade, como alguém suporia que algum de seus capangas fosse fazer qualquer coisa depois que a notícia estava no jornal, na TV, na internet etc?

O plano é digno de um filme de Bruce Wilis. Pode ser real? Sim. O PCC é rico e organizado. Mas a socióloga Camila Dias Nunes, autora do livro “PCC – Hegemonia nas Prisões e Monopólio da Violência”, duvida. Em entrevista ao site Spresso SP, ela afirma que considera tudo mirabolante demais. “Ao que tudo indica, o Marcola, por exemplo, possui uma capacidade muito grande de fazer ações bem planejadas. Então, eu acho que ele não seria burro de pôr em prática um plano como esse”, declarou. “Todos esses presos estão cansados de saber que suas ligações telefônicas são monitoradas, tanto pelo Ministério Público como pela polícia. É um amadorismo que não está de acordo com o perfil do Marcola”.

Tudo teria partido da interceptação de uma ligação entre o bandido Claudio Barbará da Silva, o Bin Laden, que está em Venceslau, e sua mulher, realizada pela Secretaria da Administração Penitenciária, comandada por Lourival Gomes. Por causa do vazamento, estaria havendo uma briga nos bastidores com a Secretaria de Segurança Pública, cujo titular é Fernando Grella.


Uma explicação para essa incrível batalha campal que nunca aconteceu são as eleições. Sem dar um único tiro, Alckmin saiu vitorioso. Os quatro fugitivos que nunca foram vão para outro regime prisional mais rigoroso. Mas a sensação que resta é de que, no meio de um teatro do absurdo, estão tentando fazer muita gente de boba. Você, inclusive.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

SILVIO SANTOS COLOCA A DIREITA MAIS PRIMITIVA E DESAVERGONHADA QUE EXISTE NO BRASIL A SEU SERVIÇO NO SBT. JORNAIS DO SBT SÃO CADA VEZ MAIS OCUPADOS POR FASCISTAS DISFARÇADOS DE APRESENTADORES.


O personagem Silvio Santos pensa que pode enganar as
pessoas com sua imagem jovial.


Diz uma velha máxima usada principalmente no meio político, que jabuti não sobe em arvore, se aparecer algum jabuti no alto de uma árvore, alguém colocou ele lá.

No caso dos telejornais do SBT, emissora de televisão que tem a concessão pública de uso para o Sr. Senor Abravanel, conhecido como Sílvio Santos, temos diversos jabuti nas árvores já a algum tempo.

Primeiro foi uma tal de Rachel Sherazade, que na condição de apresentadora de telejornais do SBT, se aventurou à condição de analista ou comentarista, seja lá o que for e, com a condescendência do “patrão” Silvio Santos deitou e rolou no horário nobre em suas falas preconceituosas e com viés racista e, somente  depois da grita da sociedade fingiu “calar o bico”.

Ontem, 27/02, foi a vez de um tal de Paulo Martins aparecer na emissora do “patrão” para esculhambar de maneira grosseira o voto dos seis juízes do STF que absolveram os réus do mensalão da acusação de formação de quadrilha, além de exaltar as grosserias do presidente do Supremo Joaquim Barbosa contra seus pares, que apenas divergiram dos pontos de vista do Presidente do STF de maneira democrática e educada.

O que realmente pensa o Sr. Silvio Santos sobre o embate político no Brasil? Qual é o seu lado ideológico?

Aparentemente ninguém sabe, mas na essência, pelas palavras dos seus funcionários apresentadores, sabemos muito bem e até nos causa espanto a que ponto pode chegar um homem que diz que veio do “povo” e conquistou sua condição de empresário de sucesso com "muito trabalho".

A postura assumida por Silvio Santos não é novidade, nos últimos meses, desde as manifestações de junho e julho, observo que grande parte da direita do Brasil estava submergida, não tinha coragem de se apresentar, preferia militar nas sombras dos círculos restritos de pessoas que pensam como eles onde podiam expor suas opiniões, na maioria das vezes pautadas pela discriminação e o racismo.

O Sr. Senor Abravanel deveria se fixar em suas origens, mais precisamente na história recente da Segunda Guerra Mundial para se lembrar do que a direita nazista e fascista foi capaz de fazer com seus descendentes, antes de ficar fazendo proselitismo com reacionários para agradar esta parte da elite brasileira e por que não do mundo, que teima em imaginar um mundo onde existam pessoas que se consideram melhores que outras pessoas.

Não adianta o Abravanel se esconder sob a máscara de Silvio Santos. Sabemos muito bem que quando Rachel Sherazade e Paulo Martins, dentre outros, fazem seus comentários desprezíveis, o lobo Abravanel apenas se revela de seu disfarce de cordeiro Silvio Santos.


Flávio Luiz Sartori

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

TODO APOIO A LUIS ROBERTO BARROSO PELA SUA CORAGEM E AUTENTICIDADE EM ENFRENTAR JUÍZES DO STF QUE INSISTEM EM TRANSFORMAR JUSTIÇA BRASILEIRA EM UM ESPETÁCULO DE MÍDIA PARA A REDE GLOBO DOS IRMÃOS MARINHO E INTERESSES POLÍTICOS PARTIDÁRIOS.


Para o bem do Brasil juízes como Luis Roberto Barroso 
não se deixam levar pela pressão das elites exercida 
todos os dias pelo Partido da Imprensa Golpista.



A pergunta que se faz neste momento é a seguinte.

O que vai criar condições para uma nova prática política no Brasil?

Será uma reforma política que torne o viciado sistema político brasileiro imune ao poder ao poder econômico e ao fisiologismo? Ou a manutenção da atual situação, com as condenações pontuais de alguns políticos apenas para enganar a opinião pública?

No auge das manifestações de junho e julho do ano passado o Governo Dilma colocou na pauta a reforma política, que inclusive seria submetida a aprovação pular. O PMDB do impagável líder Eduardo Cunha, juntamente com o Estadão, a Folha, a Veja e principalmente a Globo dos irmãos Marinho, mais a oposição de direita no Congresso Nacional inviabilizaram a proposta de um plebiscito para aprovar uma reforma política.

No Supremo Tribunal Federal o Juiz Luis Roberto Barroso entende que não é exagerando na condenação de condenados, para que eles fiquem na cadeia por um tempo, diga-se de passagem, de forma ilegal, como que se a justiça estivesse dando satisfação a toda sociedade brasileira por toda história de corrupção na política brasileira que já dura mais de século, é que o problema de ter uma classe política fisiológica que atrasa o avanço de reformas sociais e institucionais no Brasil será resolvido. Para Barroso, somente a reforma política poderá abrir caminho para que a disputa política do Brasil saia do jogo de interesse de elites poderosas.

No entanto, pelo que se observa, juízes do STF, dentre eles Joaquim Barbosa, Gilmar Mendes e Luiz Fux, pretendem continuar com o jogo de cena de que condenando e criando espetáculos públicos para deleite da direita e da Globo dos irmãos Marinho, estarão propiciando uma situação onde com falsa ideia de que a justiça estaria acontecendo, o que não é verdade.

Enquanto isso no Congresso Nacional os fisiológicos se organizam para ocupar os espaços políticos, principalmente através do PMDB via seu líder Eduardo Cunha aglutinando outras forças, que sob o disfarce de reivindicar mais espaços no governo, na realidade assumem postura fisiológica na defesa de seus interesses corporativos. Nesse  cenário foram tanto a fundo em suas articulações que até fisiológicos como o Deputado Paulinho da Força, hoje aliado do PSDB, se juntaram ao grupo para ver se sai “alguma coisa”.

A postura de hoje, 26/02, do Juiz Luis Roberto Barroso, ao votar contra a condenação por formação de quadrilha dos réus do mensalão foi uma resposta, principalmente contra Joaquim Barbosa, Gilmar Mendes e Luiz Fux, que insistem em transformar este julgamento em um espetáculo de mídia principalmente para a Rede Globo.

Foi, acima de tudo, o resgate da verdade e do real papel da justiça no Brasil neste momento histórico.

Somente uma reforma política que estabeleça novas regras para as eleições tornando elas, de fato, mais democráticas para toda a sociedade brasileira é que será possível eleger políticos sérios e comprometidos com um Brasil sempre cada vez melhor. 


Flávio Luiz Sartori

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

BOB FERNANDES FAZ O OPOSTO DO BOATEIRO DE PLANTÃO GERSON CAMAROTTI, OU SEJA, FALA A VERDADE E DESVENDA AS MOVIMENTAÇÕES CAPITANEADAS PELO PMDB EM BRASILIA REVELANDO QUE ELAS SÃO NA REALIDADE APENAS CHANTAGENS E NADA MAIS.


Bob Fernandes: "Sempre dividido em bandas ou bandos
o PMDB aponta a faca e cobra ou dá ou eu desço".



Gerson Camarotti posa de bom moço. Aparentemente é o homem que revela os bastidores da disputa política em Brasilia, principalmente quando o PMDB se movimenta.

Mas não é bem assim. Camarotti, na realidade esta a serviço do PMDB e dos irmãos Marinho. 

Para o PMDB ele ajuda a criar o clima de rebelião e descontentamento com o Governo Dilma.

Para os irmãos Marinho ele passa a ideia de que esta desestabilizando o mesmo Governo Dilma.

O que é isso? Tudo jogo de cena.

Bob Fernandes desvenda a verdade: "Henrique Alves do PMDB reuniu em sua casa pesos pesados do empresariado, segundo relatos, uma reunião com queixas da economia, contra a falta de jogo de cintura e etc.."

Assistem o vídeo e tirem suas conclusões:


domingo, 23 de fevereiro de 2014

DIRETO DE SEU BLOG, RENATO ROVAI, MOSTRA DE MANEIRA DIDÁTICA, COMO A CANDIDATURA DE JOAQUIM BARBOSA SERÁ APENAS MAIS UM INSTRUMENTO DE MANIPULAÇÃO DAS ELITES QUE GOVERNARAM O BRASIL ATÉ 2002, PARA FORÇAR UM SEGUNDO TURNO NA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL OU PREPARAR O CAMINHO PARA O GOLPE.



Joaquim Barbosa não tem outra saída, se aceitar a candidatura a
presidência, a não ser  fazer o jogo da direita para 
forçar um segundo turno.


Por Renato Rovai direto de seu blog

Joaquim Barbosa é candidato a presidente da República

No prazo limite de sua desincompatibilização do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa anuncia a aposentadoria da toga e a filiação a um pequeno partido político. Não terá mais do que 30 segundos. Sua decisão incendiará as eleições.

Aécio dirá que se trata de uma postulação legítima, que o ex-presidente do Supremo é um homem de bem, como Eduardo Azeredo.

Eduardo Campos dirá que é mais um candidato da nova política e que precisa ser respeitado.

Dilma dirá que não comenta pesquisa eleitoral e nem a candidatura dos seus adversários.

A Globo abrirá 10 minutos no Jornal Nacional para repercutir a decisão e fará um Globo Repórter para contar a história do menino que nasceu na pequena Paracatu, Minas Gerais, e venceu na vida. Amigos de infância, professoras, o primeiro médico, os tios e a o dono da padaria da rua onde ele morava darão depoimentos emocionados.

Todos contarão belas história do Joaquinzinho.

A Veja sairá com uma edição especial. Uma foto do ex-ministro tirando a toga com uma frase simples. Rumo a presidência.

Os jornais que se acham grandes farão cadernos especiais.

E todos os colunistas cravarão: o segundo turno agora é certo. E no segundo, serão todos contra Dilma e o PT.

Lula dirá que é melhor assim, que a decisão de Joaquim Barbosa esclarece muita coisa do julgamento do mensalão.

Os petistas que estavam mais sossegados, se sentirão desafiados a mais uma disputa histórica.

O New York Times fará uma matéria comparando Barbosa a Obama.

E o marqueteiro de Barbosa, mister W dirá que ele fará a campanha só pela internet. Que não irá a debates e que a TV será um mero detalhe. O slogan: O Brasil quer justiça.

E redes espontâneas e não tão espontâneas serão construídas para fazer a divulgação dos 10 pontos do Brasil com Justiça, a carta de Joaquim Barbosa ao País.

Haverá uma devassa na vida do ex-ministro realizada na internet. Aécio e Eduardo Campos se assustarão com o crescimento dos índices de Barbosa e iniciarão uma ação de desconstrução da candidatura dele por meios heterodoxos.

O novo candidato perceberá que os ataques subterrâneos que recebe não são do PT. Que partem de outros cantos. De adversários que só lhe desejam como alavanca para o segundo turno.

Mister W, seu marqueteiro, dirá que se quiser ir para o segundo turno, Barbosa terá que enfrentar Aécio e Eduardo. Terá que tratá-los como mais do mesmo. Como farinha do mesmo saco.

A eleição entra na reta final. Dilma na frente, com aproximadamente 50% dos votos válidos nas últimas pesquisas. E os outros três candidatos embolados entre 20% e 14%. Mas Joaquim é o quarto colocado.

De forma surpreendente, uma semana antes do pleito, Barbosa desiste da candidatura. Diz que a eleição no Brasil se tornou um vexame. Que não pode referendar um processo absolutamente viciado. E corrupto. E chama o povo a votar nulo.

Dilma é reeleita, mas o índice de votos nulos e a abstenção é um pouco maior do que nas últimas eleições presidenciais. No dia seguinte a apuração, vários colunistas começam a abordar a “pouca legitimidade do pleito e do governo”. E passam a defender teses de que talvez fosse o caso de encurtar o mandato presidencial e fazer uma grande reforma política no país, aprovando, por exemplo, o voto distrital e acabando com a reeleição. E até o parlamentarismo volta a ser tratado como uma alternativa a um momento que todos chamarão de “crise democrática”. Sim, esse será a tag do assunto. Nos jornais, será o chapéu das matérias.

Ouvi essa história de uma cartomante. Ela jura que leu isso nas cartas. E me disse, não pense em 2014, porque 2015 é que pode ser pior. Eu não sei se devo acreditar.