sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

UM EXEMPLO DE COMO É FEITA UMA MANIPULAÇÃO EM FAVOR DOS EUA: VÍDEO MOSTRA A HISTÓRIA DO MUNDO EM DOIS MINUTOS, PORÉM INFELIZMENTE SOB O ABSOLUTO PONTO DE VISTA DOS INTERESSES DOS EUA.


A história contada tendo como referência o interesse dos EUA.


Assistam o vídeo e tirem suas conclusões...






quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O QUE ACONTECEU DE FATO NA MANIFESTAÇÃO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA NESTA QUARTA FEIRA EM BRASILIA: VINTE MIL TRABALHADORES SE DIRIGIRAM A SEDE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL PARA DENUNCIAR QUE O STF É REFÉM DA REDE GLOBO DOS IRMÃOS MARINHO.


Isso você não viu na Globo.


Direto do Diário do Centro do Mundo:

MST diz que Supremo é ‘refém da Globo’ e tenta invadir sede em Brasília.

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF, suspendeu a sessão desta quarta-feira por cerca de 50 minutos devido a uma tentativa de invasão de militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). A sessão foi retomada por volta das 17h.

“Fui informado agora pela segurança que o tribunal corre o risco de ser invadido. Vamos fazer um intervalo na sessão”, disse Lewandowski, que presidia no lugar do ministro Joaquim Barbosa, que havia se ausentado do plenário.

Segundo a Polícia Militar, eram cerca de 20 mil militantes.

Os manifestantes desceram a Esplanada dos Ministérios e chegaram à Praça dos Três Poderes, onde fica o prédio do STF, e derrubaram as grades que protegem o local. Os seguranças do próprio STF e policiais militares conseguiram conter a tentativa de invasão.

Os manifestantes estavam vestidos com camisetas e bonés vermelhos e carregavam várias faixas, algumas com críticas à atuação do Poder Judiciário.

Uma delas dizia “STF, refém da Rede Globo”, e outras cobram o julgamento do mensalão tucano e o julgamento de casos de assassinatos de camponeses. Há ainda faixas chamando o mensalão de “julgamento de exceção” e “crime é condenar sem provas”.

Depois da tentativa de invasão do STF, os manifestantes se dispersaram pela praça dos Três Poderes, ao redor da qual ficam, além do STF, o Congresso Nacional e o Palácio do Planalto. A Polícia Militar chegou a jogar duas bombas de efeito moral sobre os manifestantes.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

JOAQUIM BARBOSA PERDEU A DIMENSÃO DE SEU PAPEL NA HISTÓRIA RECENTE DO BRASIL, GUIADO POR SEUS INSTINTOS EGOÍSTAS SE ESQUECEU QUE É UM AFRO DESCENDENTE QUE CHEGOU A PRESIDÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL PARA SE TRANSFORMAR EM UM MERO VILÃO DE NOVELA.


No Brasil de Roberto Marinho dos anos setenta nem
mesmo um escrava podia ser afro descendente de
fato. Hoje Joaquim Barbosa esta cada vez mais 
para o vilão Leôncio e sua origem afro-descendente
se dilui cada a cada dia que passa.

Quando Joaquim Barbosa bateu de frente com Gilmar Mendes em 2009 este blog aplaudiu, no entanto infelizmente aquele Joaquim Barbosa era uma ficção, o verdadeiro Joaquim Barbosa mostra sua cara atualmente quando faz o jogo do Partido da Imprensa Golpista, o PIG, principalmente os irmãos Marinho da Rede Globo. Ao que parece Barbosa morre de medo de se transformar em tema de reportagem do Jornal Nacional ou do Fantástico porque teria agredido uma ex-esposa no passado.

Quando interfere em uma decisão de um Presidente de Supremo Tribunal Federal, mesmo que no exercício da presidência, como foi o caso de revogar a decisão do Ministro Ricardo Lewandowski,  que apenas restabeleceu a justiça plena ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado pelo mensalão e preso na penitenciária da Papuda desde novembro do ano passado, Joaquim Barbosa assume definitivamente a postura de enfrentamento, não só político mas também no campo jurídico em relação a seus pares no STF.

Em um país onde um membro do mesmo STF, no caso o Ministro Gilmar Mendes, concede um hábeas corpus  ao médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de cadeia, por violentar 37 mulheres e abusar sexualmente de outras tantas, a cada momento em que persegue Jose Dirceu, Joaquim Barbosa se torna cada vez mais o vilão perseguidor, principalmente porque José Dirceu esta aqui, se defendendo e cumprindo sua pena, mesmo que não concorde com ela.

Nesse cenário Joaquim Barbosa esta cometendo um grave erro, principalmente em relação a sua condição de afro descendente, exatamente porque na condição de perseguidor deixou de ser juiz a muito tempo para se transformar em um personagem que transmite a imagem do ódio e da vingança, quando o comparam com um capitão do mato do tempo da escravidão, com todo respeito ao nobre juiz, cada vez mais parece não ser um exagero e não por culpa de quem faz a comparação, mas por culpa do próprio Barbosa.

Nos anos setenta quando eu era um adolescente assisti sim a novela Escrava Isaura, um sucesso da Rede Globo. Sempre me perguntava que escrava era aquela, não era uma afro descendente, era branca. Aquilo tinha um efeito nas pessoas que assistiam novelas na época porque mesmo sendo um personagem que seria filha de uma escrava com um branco, pelo menos deveria ser uma atriz que se percebesse ser afro descendente, mas tudo aquilo, a estória, desde que foi escrita no século XIX, era ao feitio da elite que sempre governou o Brasil, tanto é que somente no início deste século XXI é que, os afro descendentes ocuparam espaços de protagonistas na mídia.

Quando Joaquim Barbosa age como perseguidor e injusto se torna vilão e aliado descarado da mesma elite que governou o Brasil por mais de quinhentos anos e que usou o trabalho escravo para seu acumulo de riquezas.

Nesse momento Joaquim Barbosa de iguala ao nefasto Leôncio, o terrível e desequilibrado vilão da estória Escrava Isaura. 


Flávio Luiz Sartori

ENQUANTO NÃO VEM O PRÓXIMO TEXTO, A INCRÍVEL MÚSICA DE RAUL SEIXAS, "EU NASCI A DEZ MIL ANOS ATRAS"... QUEM NÃO NASCEU???? ME RESPONDAM????


Cada um de nós tem um pouco de Raul Seixas.


domingo, 9 de fevereiro de 2014

DIRETO DO LUIS NASSIF ON LINE: EDUCADORA QUE AJUDOU JOVEM ACORRENTADO EM UM POSTE NO RIO DE JANEIRO ESTA SOFRENDO AMEAÇAS E XINGAMENTOS NAS REDES SOCIAIS...


O sentimento que norteou o pensamento escravagista das elites que
governaram o Brasil por mais de quinhentos anos ainda esta
presente na sociedade brasileira, hoje, com a roupagem
do fascismo e o do nazismo.

'Vivemos numa sociedade nazista', afirma educadora

Yvonne Bezerra passou a ser ameaçada após ajudar jovem preso a poste
Dirigente de ONG de apoio a criança carente afirma que faria tudo de novo e que agiu de forma 'humanitária'


Bruno Calixto
Colaboração para a Folha de São Paulo, do Rio


A educadora Yvonne Bezerra de Mello preparava-se para dormir quando o porteiro a avisou de que havia um jovem acorrentado a um poste em sua rua.

Ela foi até lá, chamou os bombeiros e, possivelmente, salvou a vida do adolescente. Postou a foto do menor em uma rede social e a partir daí passou a sofrer ameaças e a ser xingada.

Yvonne tem ligação antiga com a defesa dos direitos de menores carentes: em 1993, foi a ela que os sobreviventes da chacina da Candelária procuraram para contar o que havia acontecido.

Folha - A sra. tem sido criticada por ter ajudado o adolescente que foi agredido. A sra. se arrepende?

Yvonne Bezerra de Mello - Foi uma ação humanitária, poderia ter sido feita por qualquer pessoa. Chamei as autoridades e encaminhei o menino, só isso. No dia seguinte, a culpada pelos males do Brasil era eu. Mas de maneira nenhuma me arrependo. Faria tudo de novo.

Que tipo de ameaças recebeu?

Por rede social, email, telefone, tudo. Fui xingada de tudo o que é nome, me acusaram de educar bandido. É um choque saber que vivemos em uma sociedade nazista, fascista.

A sra. pertence à classe alta. Sofre preconceito por trabalhar com crianças carentes?

Sou uma mulher privilegiada. Tenho casa, emprego e tudo o que quero. E por causa do meu trabalho, sim, sofro preconceito. Não nasci rica, fui criada por uma mãe sozinha, sem pai, e sofri na pele por isso.

Incomoda ser chamada de a mulher que ajuda bandidos'?

Incomoda pensar que eu moro em um país onde as pessoas que têm educação possam achar isso.

Como soube que o adolescente estava acorrentado?

O porteiro do meu prédio me interfonou quando eu já estava pronta para dormir. Fui imediatamente. Sou chamada várias vezes e não me importa onde é, eu vou. É igual ao médico quando chamado a salvar uma vida. Tem que ir.