quarta-feira, 23 de julho de 2014

PESQUISAS DO DATAFOLHA DO ULTIMO FINAL DE SEMANA FORAM MANIPULADAS E NÃO DEVEM SER LEVADAS EM CONTA COMO PARÂMETRO PARA LEITURAS POLÍTICAS SÉRIAS. O OBJETIVO DELAS FOI UM SÓ: CRIAR UM CLIMA NEGATIVO PARA O PT E ALIADOS FAVORECENDO O PSDB DE FORMA DESCARADA.


É assim que o PSDB e o Datafolha pretendem que você
esteja no dia da eleição.


Desde o ultimo final de semana com a divulgação das ultimas pesquisas do Datafolha leio análises de todos os lados, tanto daqueles que pretendem "ajudar" o Aécio, a turma do jornalismo ligada a seus patrões, como por exemplo, os irmãos Marinho e até mesmo gente do nosso campo, que infelizmente não consegue assumir o óbvio, ou seja que as pesquisas, principalmente do Datafolha, são MANIPULADAS.

Para entender o Datafolha e até mesmo o acanhado IBOPE de ontem, 22/07, é necessário analisar a situação do PSDB e de toda oposição e aliados, cada vez mais pressionados, com possibilidades de resultados positivos muito reduzidas, principalmente nos três estados mais importantes eleitoralmente, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. No Rio as chances dos tucanos coadjuvantes estão muito reduzidas, em Minas terão uma dura batalha contra o candidato petista Fernando Pimentel e São Paulo, talvez, seja para o PSDB a ultima trincheira, com mídia tradicional tentando criar um clima de ufanismo em uma realidade de condições em que se dará o debate político, com o agravante do problema da falta de água, que aponta para uma situação complicadas e não o mar de rosas que o fraudulento Datafolha tentou mostrar.

Por isso São Paulo se transformou na ultima na ultima fortaleza da oposição de direita capitaneada pelo PSDB. Derrubar a candidatura Padilha e mostrar uma gestão Haddad na cidade de São Paulo em baixa é uma questão de sobrevivência para os tucanos. Nesse sentido, o Datafolha é apenas uma ferramenta para criar fatos contra adversários do PSDB a serviço da Folha de São Paulo dos Frias, aliados de longa data da elite atrasada brasileira que já foi escravagista até o século XIX e tem sua maior concentração em São Paulo.

A estratégia tem como principal tarefa impedir que o PT esteja forte na reta final da eleição paulista, aliás como aconteceu em Campinas e São Paulo na eleição municipal de 2012, porque se isso acontecer, ainda mais com a existência da competitiva candidatura Skaf pelo PMDB, a possibilidade do PSDB perder o Governo de São Paulo, tanto para Padilha quanto para Skaf, será real como nunca aconteceu antes. Nesse caso até Aécio tem seu interesse porque quanto mais votos Alkimin tiver mais ele terá.

Por isso a ordem é desacreditar Padilha e o melhor meio é desqualificar Haddad, daí a abrupta queda de aprovação do Prefeito de São Paulo, de 36% para 47% de Ruim e Péssimo no mentiroso Datafolha do ultimo final de semana.


O desespero esta levando o PSDB e seus principais aliados na mídia tradicional apoiadora das elites, Estadão. Veja, Folha dos Frias e Rede Globo dos irmãos Marinho, a perderem o sentido da razão e apelarem para o amadorismo com mentiras sem pé nem cabeça. Fazem isso porque não respeitam as pessoas. Para eles nós sempre fomos e sempre seremos apenas e tão somente MASSA DE MANOBRA.


Flávio Luiz Sartori

Nenhum comentário:

Postar um comentário