quinta-feira, 13 de março de 2014

ENQUANTO MOBILIZA OS FISIOLÓGICOS NO CONGRESSO NACIONAL COM O PRETEXTO DE REIVINDICAR MAIS ESPAÇOS NO GOVERNO DILMA, O LOBISTA EDUARDO CUNHA, NA REALIDADE ARTICULA PELO FIM DA NEUTRALIDADE NA APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL DA INTERNET NA CÂMARA DOS DEPUTADOS.


Sem a mobilização popular corremos o risco de que os fisiológicos 
do Congresso Nacional aprovem o fim da neutralidade 
das redes para favorecer as empresas de telefonia, 
além de restringir o acesso à internet dos mais pobres.


Rebelião da bancada do PMDB.

Rebelião de partidos que fazem parte da base aliado do Governo Dilma.

Tudo isso existe e faz parte do jogo do poder e ja se posicionamos sobre isso, inclusive denunciando a questão de que os grupos fisiológicos estão se insurgindo contra a possibilidade de que sejam criadas as condições básicas para que a opinião pública do eleitorado se manifeste votando maciçamente contra candidaturas fisiológicas, principalmente do PMDB.

Mas tem uma ação liderada pelo líder da bancada de Deputados Federais do PMDB, Eduardo Cunha, que a disputa política dá a impressão, repito apenas dá a impressão, de estar ficando no segundo plano, apesar da sociedade estar bem ligada no assunto.

É a aprovação ou não do Marco Civil na Internet, principalmente no que se refere a manutenção ou não da neutralidade da rede, um assunto que interessa e muito as empresas de telefonia, principais defensoras do fim da neutralidade, o que permitiria a elas cobrar pelos serviços em separado aumentando assim o custo das tarifas.

Enquanto mobiliza os fisiológicos do Congresso Nacional aparentemente com o objetivo de conseguir mais espaços no Governo Dilma, Eduardo Cunha, um notório lobista, usa as bancadas mobilizadas, diga-se de passagem com ajuda da oposição de direita, para derrubar a neutralidade da Marco Civil na internet. 

Eduardo Cunha e seus fisiológicos estão sim defendendo o interessa das empresas de telefonia e chego a ousar dizer que o verdadeiro objetivo do tal de blocão foi, nada mais nada menos, que o de se articular para a votação do fim da neutralidade.

Se isso acontecer, com as tarifas de serviços mais caras, menos pessoas terão acesso às redes e a informação e  quem sairá ganhando serão os políticos fisiológicos, as empresas de telefonia e até mesmo os grandes grupos empresariais da mídia no Brasil que morrem de medo do poder da internet.

Com o objetivo de tentar confundir a opinião pública e devido a mobilização que esta acontecendo nas redes, Eduardo Cunha, em nome do PMDB, apresentou agora á tarde uma proposta alternativa que mantem o fim da neutralidade no Marco Civil. 

A sociedade não pode se enganar, Cunha esta prestando um serviço aos interesses econômicos de um segmento do poder econômico no Brasil que sempre se beneficiou do fisiologismo de uma parte da classe política. Isso tem que ficar bem claro, não podemos deixar de levar em conta.


Flávio Luiz Sartori

Nenhum comentário:

Postar um comentário