quinta-feira, 3 de outubro de 2013

POR DE TRAZ DA PRETENSA DEFESA DOS DIREITOS DEMOCRÁTICOS DE MARINA SILVA, PSDB, IRMÃOS MARINHO E O CAPITAL EXTERNO CONTRÁRIO A UM BRASIL INDEPENDENTE, AGEM PARA QUE EM 2014 SEJAMOS NOVAMENTE ENTREGUES PARA OS ENTREGUISTAS DE SEMPRE QUE ESTIVERAM NO PODER ATÉ 2002.


Dony de Nuccio e Miriam Leitão a nova e a velha geração de urubólogos a 
serviço dos irmãos Marinho e dos tucanos.

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, de respeitar a lei e negar o registro do partido Rede Sustentabilidade de Marina Silva aparentemente enfureceu o Partido da Imprensa Golpista, o PIG, principalmente seus maiores expoentes, os irmãos Marinho da Rede Globo, que na iminência do resultado resolveram partir com tudo pra cima do Governo Dilma.

Porem, antes de prosseguir, um pouco de leitura e lembrança sobre a ilusão de Marina Silva, aliás, um pouco antes da decisão do TSE, ao ver Marina lembrando do seu pretenso triunfo em 2010, ao lembrar a data de 03 de Outubro e os quase 20 milhões de votos que ela teve fiquei tentando decifrar se ela realmente acreditava no que comentava, o certo é que observei uma Marina extremamente emotiva com tudo que esta acontecendo à sua volta.

Vamos a um pouco de história. Desde o primeiro momento, lá em 2010 afirmo categoricamente, sem nenhum medo de estar errando, que a expressiva votação de Marina Silva naquele ano para Presidência da República se deveu única e exclusivamente ao clima criado ainda durante a campanha eleitoral pela propaganda política de José Serra, que antevendo a derrota para Dilma Roussef, candidata do então Presidente Lula no auge de sua popularidade que dura até hoje, lançou mão de uma tática suicida baseada em ataques apócrifos não assumidos publicamente por Serra, com base na desinformação, contra a candidatura de Dilma.

Os ataques tinham como eixo a exacerbação do sentimento de preconceito, que viria explodir agora em 2013 nas manifestações de junho e julho, principalmente de um setor da classe média tradicional juntamente com outros segmentos da sociedade brasileira referenciados no sectarismo religioso de grupos evangélicos radicais e católicos tradicionalistas.

Só que devido a rejeição de Serra, que era e permanece alta até hoje, seus ataques direcionados a Dilma Roussef tiraram dela uma parcela de votos que não foram para Serra, mas para Marina que manteve sempre nas pesquisas índices  respeitáveis acima de 10%. Assim na última semana antes da eleição Marina Silva se viu turbinada por cerca de 10% das intenções de votos válidos em um desfecho confuso de uma situação que foi criada pela desesperada campanha de um José Serra, que até hoje se refere a este pretenso sucesso de Marina Silva como “um sete um qualificado”.

Nesse cenário de constantes conspirações, que envolve também os interesses do capital internacional refratário ao fortalecimento de um Brasil independente, o PIG, principalmente a Rede Globo dos irmãos Marinho, na realidade nunca desiste de criar as condições básicas para que a eleição do ano que vem não seja decidida no primeiro turno em favor de Dilma Roussef e isso fica evidente principalmente na Globo News, porta voz oficial dos Marinho junto a classe média tradicional, onde os fieis escudeiros da Globo agiram abertamente para criar um aparente clima de pressão contra o TSE para que fosse dado “um jeitinho brasileiro” e o Rede Sustentabilidade fosse aprovado mesmo que fosse na ilegalidade, aliás como discursou o impagável Gilmar Mendes em seu solitário voto “marinista”.

Ora, enquanto simulam a defesa dos “direitos democráticos” de Marina Silva, os irmãos Marinho partem para o ataque e logo ainda no Jornal da 10 da Globo News de hoje, apareceu a agência de classificação financeira Moody's dando o ar da graça para dizer que a nota da dívida do Brasil teria ido de positiva para estável, além de enaltecer o fato de que o dólar teria avançado sobre o Real no dia de hoje (03/10) com uma “terrível alta” de 0,41% refletindo em um valor não passando dos R$ 2,21.

E teve mais, citando de passagem o semblante de aparente tristeza de Merval Pereira com a decisão do TSE, o jogo dos irmãos Marinho foi pesado, logo Gerson Camarotti, sempre a disposição, saiu pregando pelo quatro cantos de Brasília que o Palácio do Planalto e o PT “torciam por um cenário sem Marina”. Como que se o principal interessado na saída de uma Marina com identidade própria do páreo  não fosse o próprio Aécio e o PSDB, que cada vez mais patinam nas pesquisas, não conseguindo ultrapassar Marina nos últimos meses.

Sabem de uma coisa, na realidade, a certeza que fica é que o jogo dos irmãos Marinho, do PIG e do PSDB sempre foi o de tirar Marina Silva da disputa e se aproveitar do estado emocional dela em meio ao embate político para usar um pretenso sentimento de revolta da própria Marina em relação ao fato de que os governistas estariam articulando a não legalização do Rede para cooptar ela para o apoio a Aécio Neves. A consternação exibida, principalmente por Gilmar Mendes, nada mais teria sido do que um mero jogo de cena.

Não por outro motivo, a articulação que se segue a negativa do TSE para o Rede é para que Marina vá para o PPS ou outro partido, onde ela não teria controle total de sua campanha e com menos tempo na televisão possivelmente não chegaria a ameaçar Aécio, mas poderia ter uma votação que somada a votação que Eduardo Campos poderá conseguir com seu PSB, talvez leve a eleição presidencial do ano que vem para o segundo turno.

Enquanto isso o jogo da Globo e dos irmãos Marinho segue o mesmo de sempre, desqualificar o Governo Dilma por pretensos fracassos fabricados com a ajuda dos interesses do capital internacional contrario ao crescimento do Brasil, ou seja, entregar o Brasil em 2014 para os entreguistas.


Flávio Luiz Sartori