sexta-feira, 5 de abril de 2013

QUANDO ENCONTREI ESSA DUPLA NO YOUTUBE, LOGO PENSEI, ESSES CARAS TEM QUE ESTAR NO BLOG, CLARO: LUCIANO PAVAROTTI AND JAMES BROWN - IT´S A MAN´S WORD




Uma canção para reflexão.....


Este É Um Mundo Dos Homens Dos Homens Dos Homens

Este é um mundo de homens, este é um mundo de homens

Mas não seria nada, nada sem uma mulher ou uma menina

Veja, o homem fez os carros para nos levar ao longo da estrada

O homem fez os trens para transportar cargas pesadas
O homem fez a luz elétrica para nos tirar da escuridão
O homem fez o barco para a água, como Noé fez a Arca

Este é um mundo dos homens, dos homens, dos homens

Mas não seria nada, nada sem uma mulher ou uma menina

Homem pensa sobre um menininhas e um bebezinhos

O homem os faz feliz porque o homem faz brinquedos para eles
E depois de o homem ter feito tudo, tudo que ele pode
Você sabe que o homem faz dinheiro para comprar de outro homem

Este é um mundo de homens

Mas não seria nada, nada sem uma mulher ou uma menina

Ele está perdido na imensidão

Ele está perdido na amargura


Reflitam....

Flávio

segunda-feira, 1 de abril de 2013

É INEVITÁVEL QUANDO SE CHEGA AOS CINQUENTA ANOS REFLETIR SOBRE O SENTIDO DA VIDA, AFINAL QUAL É REALMENTE NOSSA MISSÃO AQUI?


Para responder esta pergunta que todos nós fazemos para nós mesmo fui buscar inspiração na poesia de Mewlana Jalaluddin Rumi, conhecido mais popularmente no mundo simplesmente como Rumi, poeta, teólogo, jurista, e Sufi místico, que viveu no século XIII. A poesia Rumi foi além das as fronteiras nacionais e étnicas. Seus poemas têm sido amplamente traduzido em muitas línguas do mundo e transpostos para vários formatos. Em 2007, ele foi descrito como o "poeta mais popular na América".

Tive acesso a poesia de Rumi através deste vídeo, nele a reflexão das palavras do poema "Quem diz palavras com a minha boca?" traduzem de forma sucinta o sentido da vida, da nossa caminhada rumo ao nosso destino.



E é claro a tradução e a transposição do poema na nossa linguagem do português abrasileirado:


"Quem diz palavras com a minha boca?

O dia todo eu penso nisso, mas é só de noite que eu digo.
De onde eu vim, e o que eu deveria estar fazendo?
Eu não faço ideia.
A minha alma é de um outro lugar, tenho certeza disso,
e minha intenção é de lá m’acabar.

Essa embriaguez começou em alguma outra taverna.
Quando eu voltar, um dia, àquele lugar,
Estarei completamente sóbrio. Enquanto isso,
Sou como um pássaro de algum outro continente, sentado neste aviário.
Há de chegar o dia em que eu voe,
mas quem é este em meu ouvido, agora, que ouve a minha voz?
Quem é este que diz palavras com a minha boca?

Quem é este que observa com os meus olhos? O que é a alma?
Eu não consigo parar de indagar.
Se eu pudesse experimentar um só gole do que fosse uma resposta,
Eu poderia me livrar desta prisão para bêbedos.
Eu não vim para cá por conta própria, e não posso ir embora desse modo.
Quem quer que seja que me trouxe aqui terá de levar-me para casa.

Até essa poesia. Nunca sei o que vou dizer.
Eu não planejo.
Quando já estou fora do falar-se disso,
Fico bastante quieto, não digo quase nada.


BOA REFLEXÃO...

Flávio Luiz Sartori