quinta-feira, 14 de julho de 2011

BLOG "A ESSÊNCIA ALÉM DA APARÊNCIA" COMUNICA QUE DEIXOU DE LINCAR COM O "CONVERSA AFIADA" . ATAQUES DO JORNALISTA PAULO HENRIQUE AMORIM CONTRA O VICE PRESIDENTE MICHEL TEMER CONTINUAM TENDO O MESMO MÉTODO DO PIG, QUE O JORNALISTA TANTO CRITICA.



A importância do PMDB para o Governo
Dilma incomoda muita gente, Paulo Henrique
Amorim parece ser um deles.


Quem gosta de trabalhar com suposições é o PIG. Não é Paulo Henrique Amorim?


Usar uma declaração feita pelo Vice Presidente da Republica Michel Temer em defesa do término de uma investigação para para que então seja feita a demissão de Luiz Antonio Pagot do Governo Dilma e conjecturar que esta mesma declaração serviria para dissimular a intenção de uma pretensa indicação de de um militante do PMDB para o posto de Pagot é apenas um ataque a lá PIG, como outros que foram feitos por Paulo Henrique Amorim contra o Vice Presidente da República.


O Dr. Michel Temer é advogado, não poderia fazer outra afirmação diante do fato.


Paulo Henrique Amorim, não adianta nada atacar a Globo, o Estadão e a Folha e usar o mesmo método deles, quem faz isso apenas demonstra, na essência, que é igual ao PIG.




Flávio Luiz Sartori.

domingo, 10 de julho de 2011

DIOGENES E ALEXANDRE O GRANDE

Diógenes de Sínope foi exilado de sua cidade natal e se mudou para Atenas, onde teria se tornado um discípulo de Antístenes, antigo pupilo de Sócrates. Tornou-se um mendigo que habitava as ruas de Atenas, fazendo da pobreza extrema uma virtude; diz-se que teria vivido num grande barril, no lugar de uma casa, e perambulava pelas ruas carregando uma lamparina, durante o dia, alegando estar procurando por um homem honesto. Eventualmente se estabeleceu em Corinto, onde continuou a buscar o ideal cínico da autossuficiência: uma vida que fosse natural e não dependesse das luxúrias da civilização.

Igualmente famosa é sua história com Alexandre, o Grande, que, ao encontrá-lo, ter-lhe-ia perguntado o que poderia fazer por ele. Acontece que devido à posição em que se encontrava, Alexandre fazia-lhe sombra. Diógenes, então, olhando para a Alexandre, disse: "Não me tires o que não me podes dar!" (variante: "deixe-me ao meu sol"). Essa resposta impressionou vivamente Alexandre, que, na volta, ouvindo seus oficiais zombarem de Diógenes, disse: "Se eu não fosse Alexandre, queria ser Diógenes."

Bom início de semana.

Flávio