sábado, 14 de maio de 2011

INCRÍVEL: LUCIANO HUCK TENTA LEMBRAR A LIBERTAÇÃO DOS ESCRAVOS NO BRASIL NO 13 DE MAIO APENAS COM A FIGURA DA PRINCESA ISABEL SEM OS AFRO DESCENDENTES, OS PRINCIPAIS PERSONAGENS DESTA TRISTE PÁGINA DA NOSSA HISTÓRIA.

Hoje à tarde vi Luciano Huck, apenas por alguns minutos, mas tempo bastante para assistir em seu programa a pretensa homenagem do apresentador ao dia treze de maio, data em que em 1988, a Princesa Isabel, regente no trono no lugar de seu pai, o Imperador D. Pedro II, assinou a Lei Áurea, que extinguiu a escravidão no Brasil. Lembrando que esta lei foi aprovada em um parlamento depois de exaltados debates, aliás, nada diferente de outras leis polêmicas que passaram pelo parlamento brasileiro, como por exemplo, a Lei do Desquite de 1977, que provocou intensos debates à nível nacional.

Engraçado, a maioria da mídia tradicional insiste em falar da libertação dos escravos no Brasil sem colocar os afro descendentes como principais protagonistas do evento, preferem falar da Princesa Isabel como que se ela fosse a única responsável pela libertação dos escravos no Brasil. Esquecem que milhares morreram na servidão no que pode ser considerado um dos grandes genocídios da historia da humanidade, preferem empurrar este detalhe fundamental para debaixo de tapete.

Quando eu era um menino, na escola, em plena ditadura militar, as cartilhas exaltavam as virtudes heróicas da "Redentora Princesa Isabel", incutiam em nós a ideia de que a libertação dos escravos foi um ato heróico de uma só pessoa. Essa ideia mentirosa mascarou durante muitos anos uma verdade que ficou escondida, a de que o Brasil foi construído pelo trabalho de milhares de escravos, primeiro índios, depois afro descendentes trazidos à força da África, onde eram aprisionados como animais e perdiam totalmente suas identidades, forçados a mudar de vida para uma realidade verdadeiramente infernal.

No Brasil de hoje soa até, de certa forma, engraçado ver o Luciano Huck homenagear a libertação dos escravos com uma brincadeira que teve apenas a figura da Princesa Isabel no centro das atenções.

Na minha opinião o treze de maio deve ser uma data para reflexão sobre o trabalho escravo no Brasil, que ainda não foi totalmente extinto em nosso pais, lembrando que a região Campinas, na qual eu resido, ocupou no período da escravidão oficial no seu auge no século XIX, o primeiro lugar no trafico de escravos no interior de São Paulo.

Para encerrar e tornar nossa reflexão sobre a escravidão no Brasil um pouco mais realista, um vídeo com as obras dos artistas Debret e Rogentas que apenas retrataram o que viram quando aqui no Brasil estiveram no século XIX.



Boa reflexão.

Flávio Luiz sartori - flavioluiz.sartori@gmail.com

domingo, 8 de maio de 2011

FIM DE NOITE E DE REPENTE ME DEPARO NA TV A CABO COM BUENA VISTA SOCIAL CLUB, QUE PENA ESTAVA NO FIM. SÓ RESTA ENTÃO ESTA SINGELA HOMENAGEM, DEMAIS.....



  

CHAN CHAN

De Alto Cedro vou para Marcané
Chego a Cueto e vou para Mayarí


O carinho que tenho
Eu não o posso negar
E fico babando
Eu não o posso evitar


Quando Juanica e Chan Chan
Peneirando areia na praia
como sacudia o "jibe"
A Chan Chan lhe dava pena


Limpe o caminho de palhas
Que eu quero me sentar
Naquele tronco que vejo
E de alguma forma eu não posso chegar

DE Alto Cedro vou para Macané
Chego ao Porto vou para Mayarí.


Bom inicio de semana para todos....


Flávio