sexta-feira, 4 de março de 2011

SEMANA DA MULHER NO BLOG E COMO É CARNAVAL A HOMENAGEM COMEÇA COM A MARAVILHOSA OBRA DE NINGUÉM MENOS QUE A FENOMENAL CHIQUINHA GONZAGA: BRASILEIRA QUE ROMPEU BARREIRAS NA VIRADA DO SÉCULO XIX PARA O SÉCULO XX COM SUAS OUSADAS COMPOSIÇÕES.

A vida de Chiquinha Gonzaga direto do site oficial da artista.


CRONOLOGIA DE SUA VIDA


1847 Nasce no Rio de janeiro a 17 de outubro.
1863 Casa-se com Jacinto Ribeiro do Amaral.
1864 Nasce seu primeiro filho: João Gualberto.
1865 Nasce sua filha Maria.
1866 Embarca com o marido no navio São Paulo, por este fretado, que transporta tropas para a Guerra do Paraguai.
1869 Abandona o marido. Conhece o flautista Joaquim Antônio Callado.
1876 Vive com o engenheiro João Batista de Carvalho. Nasce a filha Alice.
1877 Primeira obra editada: a polca Atraente, que em nove meses chega à 15ª edição.
1879 Começa a instrumentar, com autodidatismo.
1880 Anuncia-se publicamente como professora de várias matérias.
1883 Tentativa frustrada de musicar libreto de Arthur Azevedo (a produção teatral não aceita uma mulher como autora da música).
1885 Estréia como maestrina.
1888 Extinção da escravidão no Brasil, pela qual durante tantos anos Chiquinha Gonzaga lutara.
1889 - Proclamação da República, outro anseio da compositora.
1890 Nasce a primeira neta.
1891 Falecimento do pai.
1896 Falecimento de Rosa, sua mãe.
1899 Carnaval. Compõe Ó Abre Alas. Conhece João Batista, jovem português de 16 anos que seria seu companheiro até o fim da vida.
1902 Viaja para a Europa.
1904 Segunda viagem à Europa.
1906 Instala-se em Portugal.
1909 Retorno ao Brasil.
1911 Inicia intensa atividade musicando peças teatrais para os espetáculos por sessões dos cine-teatros da Praça Tiradentes (RJ).
1912 Estréia Forrobodó, seu maior sucesso teatral.
1913 Deflagra campanha em defesa pelo direito autoral dos compositores e teatrólogos.
1914 Lançamento, com grande sucesso, do tango Corta-Jaca.
1917 Participa da fundação da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais. 1919 Grande éxito da peça de costumes regionais Juriti.
1925 Recebe homenagens consagradoras da SBAT e reconhecimento do país inteiro. Aos 85 anos escreve sua última música: Maria.
1934 Falecimento da filha Maria.
1935 Morre no dia 28 de fevereiro. Dois dias depois realiza-se o primeiro concurso oficial das escolas de samba.

Conheça mais sobre a obra e vida de Chiquinha Gonzaga no http://www.chiquinhagonzaga.com/ e não deixe de assistir o sensacional vídeo com a história do carnaval e como Chiquinha compôs seu principal sucesso " O abra alas".


Bom Carnaval. E eu ia esquecendo, quem me cantou "O Abre Alas" pela primeira vez e me falou de Chiquinha Gonzaga pela primeira vez, quando eu ainda era um menino foi minha querida mãe, a "dona Thereza", Thereza com H como ela sempre exigiu.

Flávio