quinta-feira, 28 de outubro de 2010

FALA DE BENTO XVI HOJE EM ROMA DEIXA CLARO QUE, TIRAR LULA, O PT E ALIADOS DO PODER NO BRASIL, ERA E CONTINUA SENDO UMA PRIORIDADE PARA OS CONSERVADORES

Ratzinger e João Paulo II, todo poder à Opus Dei
na cúpula da Igreja Católica.

Para que serve uma religião? Confesso que estou em dúvidas, principalmente depois que Bento Joseph Alois Ratzinger XVI, oriundo da Opus Dei (http://pt.wikipedia.org/wiki/Opus_Dei), assim como parte da cúpula atual da Igreja Católica no Brasil, resolveu deixar bem claro o porque de bispos como o Guarulhos terem entrado para valer na campanha eleitoral para tentar impedir que Dilma Roussef fosse eleita presidente.
Minha família é de origem católica, um tio avô meu foi cônego, padre em uma importante paróquia de Campinas. No início dos anos sessenta meus pais migraram do catolicismo para uma igreja evangélica ficaram até o final dos anos setenta, depois disso nunca mais se fixamos em uma religião.
Nunca consegui ser ateu, mesmo quando militei na esquerda nos anos oitenta do século passado, daquela época me lembro muito bem que o pessoal da ala progressista católica da teologia da libertação da Igreja Católica com os quais eu convivia bastante tinham verdadeiro pavor do tal de Ratzinger, para eles ele era o perseguidor do Frei Leonardo Boff, do Frei Beto e outros herois da ala prograssista da igreja que conquistavam nossos corações porque sempre estiveram na luta contra o regime militar e a histórica desigualdade social brasileira.

Joseph Ratzinger e Karol Wojtyła (João Paulo II) fizeram parte de uma articulação com origem na direita norte americana, que foi decisiva para derrubar o comunismo na antiga União Soviética e no Leste Europeu, a mesma em que Serra se espelhou para criar um sentimento de ódio através de boatos a calúnias contra Dilma Roussef para levar a eleição presidencial brasileira para o segundo turno.

O fim da polarização entre os blocos comandados pelos EUA e a antiga União Soviética criou uma falsa imagem de triunfo do capitalismo na sua pior versão, o neoliberalismo. A ascensão de presidentes, como o de FHC no Brasil representou governos que aprofundaram a desigualdade social. A resposta do povo foi a eleição de governos comprometidos em diminuir a desigualdade social em praticamente toda a América Latina.

O Governo Lula é considerado Ótimo ou Bom hoje por mais de 80% da população brasileira, por isso mesmo, ao que tudo índica, a candidata Dilma Roussef, apoiada por Lula, deverá ser eleita presidente do Brasil no próximo domingo.

Na reta final do primeiro turno ficou evidente que a ala conservadora da Igreja Católica no Brasil tinha escolhido seu lado, estava com Serra, fazia e continua fazendo parte de uma campanha sórdida de ataques a candidatura de Dilma Roussef.

Hoje tudo ficou bem claro e explicito, a atual cúpula da Igreja Católica, o papado, continua aliada à direita norte americana inspiradora de Serra.
Bento Joseph Alois Ratzinger XVI sonhava com uma vitória de Serra, sua fala em Roma a bispos brasileiros foi um apelo derradeiro para criar um fato tentar salvar Serra da derrota.

O Brasil é realmente a bola da vez, tirar Lula, o PT e aliados do poder, ao que parece era e é uma prioridade da direita a nível mundial, temos que ter consciência disto independente de nossas crensas, ou vcs acham que Torquemada (http://pt.wikipedia.org/wiki/Tom%C3%A1s_de_Torquemada) deveria ser considerado um bom homem, apesar de seus crimes, só porque era católico?

Flávio Luiz Sartori – flavioluiz.sartori@gmail.com