sábado, 11 de setembro de 2010

DEPOIS DO NECESSÁRIO EMBATE POLÍTICO VAMOS COMEÇAR O DOMINGO COM A BOA MÚSICA NA INTERPRETAÇÃO DE JOÃO BOSCO: NAÇÃO.

Para uma reflexão sobre o Brasil e o futuro...



Valeu. Bom domingo. Fui...dormir...

Flávio

GRUPO FOLHA ENTRA COM TUDO NA CAMPANHA DE ALCKMIN. AUDITORIA JA DA JUSTIÇA ELEITORAL NO DATAFOLHA.

Montenegro não é bôbo, sabe que as pesquisas eleitorais são vitrine para o segmento de pesquisas de mercado por isso, à sua meneira e tantando demonstrar que não quer afrontar as Organizações Globo, vai deixando escapar aqui acolá, pesquisas que tenham um mínimo de verdade. Assim foi com a subida de Dilma e sua "mea culpa" sobre o fato de ter previsto no ano passado que Dilma não subiria pois o Presidente Lula não conseguiria transferir seu prestígio para sua candidata, provavelmente para agradar os irmãos Marinhos, que segundo o Paulo Henrique Amorim não tem nome, que são seus clientes. Porém quando o negócio é o mercado, as coisas não são bem assim. Quem vai acreditar em "pesquiseiros de meia tigela"?

Agora o Grupo Folha não tem jeito, é uma questão de classe social, a Folha é a elite que sempre governou o Brasil e Governa São Paulo até hoje em qualquer circunstância, vai lutar contra o PT e Lula até o fim, sabe que não tem liga. Lula ja revelou para todo Brasil em um comicio em Mato Grosso do Sul como deixou os Frias falando sozinhos em um almoço quando ainda nem era presidente em 2006, para a Folha não tem acordo, é como diria um amigo meu no passado, o Severiano, um homem simples do povo: "É bala ou roleta russa".

Por isso a Folha insiste até o fim, esta com Serra e Alckmin e não abre.

Quem acredita nesta pesquisa de Alckmin com 49% e Mercadante com 23% de intenções de votos estimulados em São Paulo? Provavelmente nem a Hebe Camargo. Podem acreditar e piamente.

Flávio Luiz Sartori - flavioluiz.sartori@gmail.com

IBOPE DEMORA, DEMORA, ENFIM TEM QUE ADMITIR ALCKMIN ESTÁ CAINDO EM SÃO PAULO. MERCADANTE DEVE ESTAR COM MAIS DE 22%, PODEM ACREDITAR.

No atual momento em que vivemos com a mídia tradicional em baixa, com o PIG não conseguindo mais manipular a opinião pública como sempre fez, demorar para admitir o óbvio acaba conspirando cada vez mais contra o próprio PIG, principalmente porque faz diminuir cada vez mais a sua já combalida credibilidade.
Dessa forma, quanto mais demorar em tornar público o fato de que Alckmin esta caindo nas pesquisas eleitorais do IBOPE e do Datafolha, que diga-se de passagem sempre são infladas para favorecer “seus candidatos”, pior será para o próprio PIG e também para os IBOPEs e Datafolhas da vida.

Seguindo este raciocínio, o resultado divulgado ontem pelo IBOPE que mostra uma queda de 51% para 46% nas intenções de votos estimulados para Alckmin já vem tarde porque isto já deve ser real já à muito mais tempo.

Na realidade, acredito piamente e agora quem fala é o profissional de pesquisa de mercado e opinião pública, que Alckmin já deve estar abaixo dos 46% admitidos pelo IBOPE, deve estar de 38% a 42% quando muito.

Mercadante obviamente que está acima dos 22% admitidos pelo IBOPE, afinal se Russumano subiu só 1 ponto de 7% para 8%, Skaf se manteve com 2% e Feldman também se manteve com 1%, obviamente que IBOPE teve que maquiar os pontos perdidos por Alckmin entre indecisos, brancos e nulos para fazer a mágica de Mercadante ter subido só 2 pontos de 20% para 22%.

Podem acreditar, de acordo com meus prognósticos, Mercadante testa acima dos 22%, hoje Mercadante deve estar em uma faixa de 28% a 32% de intenções de votos estimulados e o segundo turno já está praticamente definido em São Paulo.
Se preparem será um disputa histórica com reflexos no futuro da história do Brasil.

Flávio Luiz Sartori – flavioluiz.sartori@gmail.com

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

SERRA ATACA BLOGUEIROS EM SABATINA DO JORNAL O GLOBO. E DAÍ????

TENHO ORGULHO DE SER BLOGUEIRO CONTRA O PIG...


Em sabatina com candidatos presidenciais do jornal "O Globo", Serra atacou os bloqueiros, disse que nós estamos a serviço da campanha de Dilma Roussef.

Não é bem assim Serra, estamos a serviço da verdade, contra as pesquisas fajutas do IBOPE e do Datafolha que sempre manipularam a opinião pública e contra as mentiras do PIG que sempre estiveram à serviço doS tucanos e seus aliados.

Como blogueiro eu tenho orgulho de estar participando deste momento histórico no Brasil, nós blogueiros somos a expressão de uma sociedade indignada com anos de manipulação, agora podemos contrapor a tudo isso graças a internet.

Entendeu senhor Serra? Isso é apenas democracia e nada mais, a web é livre, o senhor que trate de aglutinar apoiadores na web e contrapor a nós, estamos aberto ao debate político.

Quem usa mentiras para denegrir os adversáios são seus aliados do PIG.


Flávio Luiz Sartori
Cidadão brasileiro e blogueiro com muito orgulho.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

NOTÍCIA SOBRE A MORTE DE FUNDADOR DA BANDA Electric Light Orchestra ME FEZ LEMBRAR DE UM SOM EMBLEMÁTICO DOS ANOS SETENTA

O violoncelista Mike Edwards, 62 anos, membro e um dos fundadores da banda Electric Light Orchestra (ELO), morreu depois de o fardo de 600 quilos rolar por uma encosta íngreme em Devon, no sul da Inglaterra, e bater no carro que ele dirigia.
Ao ler a notícia me lembrei de uma das minhas bandas preferidas nos anos setenta, então ai vai minha homenagem a banda e um de seus clássicos Livin' Thing.




Bom feriado. Flávio

domingo, 5 de setembro de 2010

DIRETO DO CONVERSA AFIADA DO PAULO HENRIQUE AMORIM: A REVELADORA ENTREVISTA DA DONA NEUZA AO JORNAL DA TARDE (ESTADÃO)

Dona Neuza é gente como a gente, batalhadora, quer o melhor para sua família, seus filhos na universidade e é devota de Nossa Senhora Aparecida. Leiam a entrevista dela ao Jornal da Tarde:

ENTREVISTA

JT – A senhora acha que a Dilma tem experiência política? A candidata não depende muito do Lula?
Neusa- Ela é como a gente. Acho que ela pode aprender como ser uma boa presidente. Ela vai se virar bem sem o Lula.

JT – E o passado dela? Ela participou da luta armada…
Ah, meu filho, isso não interessa muito, não. Além do mais, faz tanto tempo. E acho também que as pessoas mudam.

JT – A história do Mensalão do PT não incomoda a senhora? E ela ter o apoio do Zé Dirceu, do Sarney, do Collor…
Acho que todos os políticos são a mesma coisa (ri). Quem fez coisa errada tem que pagar e pronto. Agora, vai dizer que só tem gente boa do lado do Serra?

JT – E essa história da quebra de sigilo na Receita Federal?
Isso aí, não sei. Mas imposto é segredo? Achei que não era, que todo mundo sabia.



Durantes anos a elite que sempre governou o Brasil e governa o estado de São Paulo até hoje manipula as pessoas através do PIG, porém a situação mudou, principalmente depois do Governo do Presidente Lula.
Como minha esposa sempre diz, esse pessoal pensa que o povo ainda é bôbo e insiste em continuar com enganação.
Ai está Dona Neuza para comprovar que as coisas mudaram, graças a Deus....

Flávio Luiz Sartori

CADEIRA CATIVA NESTE BLOG, MARCOS COIMBRA MAIS UMA VEZ COLOCA AS COISAS NOS SEUS DEVIDOS LUGARES EM RELAÇÃO A PROPAGANDA ELEITORAL NA TELEVISÃO

Deu no Correio Braziliense - 05/09/2010

A força da TV

De Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi

Hoje é o 20º dia de veiculação da propaganda eleitoral na televisão e no rádio. É quase a metade do total de 45 dias, que termina na antevéspera da eleição. Já dá para avaliar seu impacto inicial e estimar que efeitos poderá ter de agora em diante.

Nas pesquisas feitas em âmbito nacional e nos estados, vê-se que estas eleições confirmam o padrão de audiência que conhecíamos de outras. O chamado “programa eleitoral”, veiculado no início da tarde e à noite, está tendo uma audiência cativa relativamente pequena. Os comerciais, espalhados na grade das emissoras ao longo do dia, atingem contingentes muito maiores do eleitorado.

Embora nossos legisladores tenham escolhido faixas de horário em que aumenta a chance de alcançar um grande número de eleitores, a previsibilidade dos programas faz com que sejam vistos por um segmento bem particular do eleitorado: as pessoas que se interessam por política. Não é pelo fato de ser veiculados na hora em que as pessoas estão, na maior parte dos casos, almoçando ou jantando que eles despertariam a curiosidade dos desinteressados.

Chama atenção a diferença de assiduidade na audiência dos programas dos candidatos a presidente, governador e senador. A proporção de pessoas que diz ver os programas às terças, quintas e sábados, quando os presidenciáveis estão no ar, é quase o dobro da que vê os programas das segundas, quartas e sextas. Nesses dias, por sua vez, o costume é olhar com mais atenção o começo do horário, quando se apresentam os candidatos a governador, que o final, na hora dos senadores.

Existem três tipos de espectador desses programas, com tamanhos que variam em função da eleição. Nas presidenciais, 20% dos entrevistados são espectadores “habituais”, pois dizem vê-los “sempre ou quase sempre”. Outros 30% são “eventuais”, pois só os assistem “de vez em quando” ou “raramente”. Os 50% restantes são “não-espectadores’: simplesmente não os veem.

Importa pouco, para os eventuais e os não-espectadores, se o aparelho de televisão permanece ligado ou se estão no ambiente onde alguém assiste aos programas. São pessoas que não dão noticia do que está sendo veiculado, a não ser de maneira fragmentária.

Mesmo nos estados onde a cadeira de governador é objeto de disputa acirrada, a proporção de espectadores habituais dos programas dos candidatos ao cargo é menor. Na maior parte deles, não chega aos 15%. Os eventuais são 30%, o que quer dizer que perto de 60% dos eleitores não vê os candidatos a governador.

Mesmo com todas as ressalvas e excluindo os não-espectadores, é grande o número de pessoas que, toda noite, se senta na frente da TV para ver os programas. Somando parte dos habituais e alguns entre os eventuais, é provável que não menos que um quarto do eleitorado veja cada um.

A maioria, no entanto, só é alcançada pelas inserções. Na eleição dos prefeitos, rapidamente, pois apenas eles as têm. Nas gerais, mais lentamente, pois todos os candidatos, a todos os cargos, têm direito a elas. A grade fica mais concorrida.

Nestes primeiros 20 dias de propaganda, não tivemos viradas espetaculares ou “disparadas”, seja no plano federal, seja nas eleições de governador ou senador. Mas muita gente cresceu e alguns caíram, prenunciando mudanças para as próximas semanas.

Dilma continuou sua ascensão, com pequeno aumento da velocidade de crescimento. Ela manteve a tendência de ganhar intenções de voto entre indecisos e subiu mais um pouco tomando eleitores de Serra. Era o que se imaginava que aconteceria quando Lula fosse à televisão. O que vai além do esperado é quanto Serra caiu. Mesmo no comitê petista se calculava que seu mínimo era superior a 25%. Hoje, não se sabe.

Por enquanto, nas eleições para governador, a grande mudança acontece em Minas Gerais. É o único estado em que uma candidatura que parecia favorita já perdeu esse posto. Hélio Costa, apesar do apoio de Lula e do PT, viu sua vantagem de mais de 20 pontos desaparecer e está empatado com Antonio Anastasia, que tem o apoio de Aécio.

Mas não é apenas em Minas que as eleições de governador (e senador) ainda podem reservar surpresas. Em alguns estados, nas últimas semanas, ainda vai correr muita água por baixo da ponte. Na batalha paulista, por exemplo, o cenário está longe de definido. Em relação ao Senado, nem se fala. Há mais de 20 vagas em disputa aberta.